Alentejo

Nos hospitais de Évora, Beja e Portalegre, a média de adesão à greve por parte dos enfermeiros ronda os "55 a 60%

Publicado em Regional 15 fevereiro, 2019

Escolas encerradas, hospitais afetados, embora as cirurgias só tenham sido adiadas no de Évora, e serviços municipais a "meio gás" foram os efeitos no Alentejo da greve de hoje na Função Pública.

Nos hospitais de Évora, Beja e Portalegre, a média de adesão à greve por parte dos enfermeiros ronda os "55 a 60%"

No que respeita à realização de cirurgias, só “algumas cirurgias programadas, no Hospital do Espírito Santo de Évora (HESE), foram adiadas.

Nos hospitais de Beja e Portalegre, o número de enfermeiros em greve não foi suficiente para adiar" esses procedimentos.

 No hospital de Beja, os serviços de fisioterapia, as urgências e o laboratório de análises estão com uma adesão de 100%" por parte dos assistentes operacionais.

"O distrito de Évora esteve com níveis de adesão quase plenas, houve estabelecimentos de ensino encerrados "em diversos concelhos", como Viana do Alentejo e Reguengos de Monsaraz, Vila Viçosa.

 

Últimas notícias

Histórico de Notícias

« Abril 2019 »
Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
1 2 3 4 5 6 7
8 9 10 11 12 13 14
15 16 17 18 19 20 21
22 23 24 25 26 27 28
29 30