Alentejo

“O país e a região conseguem dar um passo qualitativo” com a utilização de viaturas elétricas, diz Roberto Grilo (c/som)

Regional 14 Abr. 2018

Foi ontem, dia 13 de abril, assinalada a entrega de 27 novos veículos elétricos, ao abrigo do Programa de Apoio à Mobilidade Sustentável na Administração Pública. Uma cerimónia que contou com a presença do Secretário de Estado do Ambiente, José Gomes Mendes e contemplou diversas instituições como a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Alentejo (CCDRA), onde decorreu a cerimónia, cujo Presidente destacou o exemplo que a região é hoje para o país.

Entre as várias instituições que concorreram e recebem até 3 viaturas elétricas encontram-se também o Instituto da Mobilidade e dos Transportes, I.P. (IMT), várias forças de segurança pública, a Direção-Geral de Alimentação e Veterinária, o Instituto Nacional de Investigação Agrária e Veterinária, I.P., o Laboratório Nacional de Energia e Geologia, a Agência Para o Ambiente (APA), a Segurança Social ou o Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ).

As candidaturas para a entrega de veículos elétricos, ao abrigo do Programa de Apoio à Mobilidade Elétrica na Administração Pública, atingiram um número “bastante vasto”, diz o presidente da CCDRA, Roberto Grilo. Afirmando que a cerimónia de entrega destas viaturas assinala também a “distinção daquele que é o papel de responsabilidade e identidade da própria região, como a região com melhor índice de qualidade ambiental do país”.

De entre as várias instituições da administração central, que foram contempladas com essa atribuição, Roberto Grilo destaca que “há aqui um conjunto de serviços públicos” que definem “uma aposta clara naquilo que é um contributo para a redução de CO2, indo ao encontro daquilo que são os novos patamares, quer de modernização, por um lado da frota automóvel, com essa responsabilidade ambiental que se incrementa”, explica.

O Presidente da CCDRA afirma que “o país hoje e a região conseguem dar aqui um passo qualitativo”.

Sobre a possibilidade de alargamento de medidas semelhantes à administração local, nomeadamente às autarquias, Roberto Grilo explicou que “durante este ano de 2018 estão previstas várias iniciativas, e alguns momentos ainda relativamente às autarquias e a outros serviços da administração”. Sendo categórico, ao afirmar que “este é o futuro, e o futuro começou-se a tronar um presente”. Pois, “hoje a administração está-se a modernizar no seu parque automóvel e está a dar o exemplo”. Um passo que será complementado com o “Programa Operacional Regional, também através das suas candidaturas, quer da mobilidade, quer ao nível dos municípios, temos uma série de projetos que estão candidatados” e que se relacionam com a redução de dióxido de carbono na atmosfera.

Apesar da troca de antigas viaturas, “que tinham muitos anos e muitos quilómetros, ou seja, com elevados níveis de poluição, a troco da entrega de novas viaturas, que não têm qualquer custo”, cujo “impacto em termos de receita é enorme”, o Presidente da CCDRA considera que o mesmo “não pode só ser visto nessa perspetiva”, realçando o “contributo para a sociedade, para o território, da redução dos tais níveis em termos ambientais”.

Últimas notícias

Histórico de Notícias

« Abril 2020 »
Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
    1 2 3 4 5
6 7 8 9 10 11 12
13 14 15 16 17 18 19
20 21 22 23 24 25 26
27 28 29 30