Portalegre: Oposição chumba Orçamento Municipal para 2013

Regional 20 Dez. 2012

A proposta de Orçamento Municipal (OM) de Portalegre para 2013 foi chumbada no passado dia 17 de dezembro, O documento, que previa um valor aproximado de 23,5 milhões de euros, não obteve luz verde por parte dos partidos da oposição, nomeadamente PS e CDU.

O vereador Pinto Leite, em representação do partido socialista, justificou a reprovação, dizendo que o documento, além de não ser exequível, devido ao fato da autarquia só conseguir arrecadar entre 18 a 20 milhões de euros, montante que ultrapassa o valor proposto, também não prevê uma estratégia de desenvolvimento para o concelho. Para a tomada de posição do PS também contribuiu o fato do OM conjeturar a transferência de 600 mil euros para a Fundação Robinson, a qual recebeu ordem de encerramento por parte do Governo. Da CDU, Hugo Capote justificou o chumbo com a discordância da proposta contemplada nas Grandes Opções do Plano, a qual prevê que a gestão cultural no concelho seja feita pela Fundação Robinson. O edil sublinhou que a intenção não seria inviabilizar o Orçamento Municipal, mas uma vez que os dois documentos não podem ser votados em separado não restou outra opção.

A este respeito, a presidente da Câmara Municipal de Portalegre, Adelaide Teixeira, já revelou que o PSD vai alterar as Grandes Opções do Plano. Em relação às justificações do PS, a autarca disse que já estava à espera e acusou os socialistas de praticarem “a política da terra queimada e do bota a baixo”.

Caso o orçamento da Câmara de Portalegre para 2013 não seja aprovado, o PSD pode ver-se obrigado a governar com duodécimos calculados em função do orçamento de 2012.

Últimas notícias

Histórico de Notícias

« Dezembro 2019 »
Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
            1
2 3 4 5 6 7 8
9 10 11 12 13 14 15
16 17 18 19 20 21 22
23 24 25 26 27 28 29
30 31