Presidente da Câmara de Aljustrel pede intervenção urgente na Estrada Nacional 2

Regional 23 Jan. 2020

A Câmara Municipal de Aljustrel, desde há seis anos, tem vindo a alertar e a manifestar publicamente, e por várias vezes, junto de diversas entidades, mais concretamente junto do Governo e da Infraestruturas de Portugal, a sua preocupação, o seu descontentamento e o seu total desacordo com o já conhecido inaceitável estado de degradação em que se encontra a Estrada Nacional (EN2). E no dia 21 de janeiro, o Presidente da autarquia, Nelson Brito, encaminhou uma nova exposição detalhada ao Ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos.

Em causa está a acentuada e pronunciada deterioração da referida via, que levou, já este ano, os serviços municipais de Proteção Civil a considerarem “muito urgente” uma intervenção neste troço, que, contudo, não é da responsabilidade nem do domínio de competências da câmara.

Considera a Proteção Civil da Câmara Municipal de Aljustrel que esta estrada, que apresenta “buracos de grande dimensão”, coloca em causa a segurança de quem nela circula, alertando ainda para os vários acidentes rodoviários que têm ocorrido.

O Presidente da Câmara Municipal de Aljustrel, também responsável máximo da Proteção Civil municipal, solicitou, inclusive, à Guarda Nacional Republicana (GNR), também neste mês de janeiro, os dados de 2018, 2019 e 2020 referentes à sinistralidade rodoviária registada na Estrada Nacional 2, designadamente, na zona de ação do Posto Territorial de Aljustrel e da zona de ação do Posto Territorial de Castro Verde, de modo a poder inteirar-se dos números e, desta forma, poder reforçar, com exatidão e rigor, a sua posição de defesa da população e do território que serve, e alertar, mais uma vez, as entidades responsáveis pela manutenção da já referida via.

Recorde-se que esta artéria é um dos principais eixos rodoviários que serve o concelho de Aljustrel, com proveniência em Ferreira do Alentejo e que faz a ligação a Castro Verde. Estrada, esta, que é atravessada, diariamente, por dezenas de cidadãos, nomeadamente, para se deslocarem para os seus empregos e, entre outros, destaque para as atividades laborais nas Minas de Neves Corvo e Minas de Aljustrel que empregam centenas de pessoas.

Acontece ainda que a EN2, maioritariamente no troço entre Aljustrel e Castro Verde, é utilizada por veículos pesados de mercadorias associados às atividades industriais da região que têm contribuído também para a aceleração de desgaste do piso, verificando-se que as pequenas reparações efetuadas pela Infraestruturas de Portugal têm-se revelado ineficazes.

Esta estrada é ainda utilizada pelos cidadãos do concelho para aceder ao Serviço de Urgência, em Castro Verde, uma vez que, como a autarquia tem defendido, em Aljustrel este serviço foi extinto incompreensivelmente. E é também considerada uma importante rota turística, que contribui para a dinamização dos territórios que atravessa, e que atrai pessoas de Norte a Sul e de além-fronteiras.

A Câmara Municipal de Aljustrel espera que esta nova tentativa concorra para a solução de um processo que se arrasta há demasiado tempo e que tarda em ser resolvido, na opinião da autarquia.

Últimas notícias

Histórico de Notícias

« Setembro 2020 »
Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
  1 2 3 4 5 6
7 8 9 10 11 12 13
14 15 16 17 18 19 20
21 22 23 24 25 26 27
28 29 30