×

Alerta

JUser: :_load: Não foi possível carregar o utilizador com o ID: 63
JUser: :_load: Não foi possível carregar o utilizador com o ID: 68

COVID19

Registadas mais de 7500 suspeitas de reações adversas às vacinas.

Regional 18 Jun. 2021

Desde o início da campanha de vacinação, em dezembro 2020, até ao domingo passado, mais de 7500 suspeitas de reações adversas (RAM) às vacinas contra a Covid-19 foram notificadas em Portugal, num total de 7 371 032 doses administradas, o grupo onde estas situações adversas mais se fazem sentir, é nos idosos, as quais 51 casos de morte são em idosos, segundo um relatório do Infarmed divulgado hoje, sexta-feira.

3032 (40%) destas reações são classificadas como graves e, 4544 (60%) como não graves. Das classificadas como graves, 1814 foram consideradas “clinicamente importantes”, 867 geraram incapacidade, 220 deram origem a hospitalização, 80 representaram “risco de vida” e 51 representaram a morte, segundo o relatório do infarmed, citado pela TSF.

"Os casos de morte ocorreram num grupo com uma mediana de idades de 78,5 anos e não pressupõem necessariamente a existência de uma relação causal com a vacina administrada, uma vez que podem também decorrer dos padrões normais de morbilidade e mortalidade da população portuguesa", salienta o "Relatório de Farmacovigilância - Monotorização da Segurança das Vacinas contra a Covid-19 em Portugal", como avança a TSF.

A análise dos dados mostra que por mil doses de vacinas administradas foi notificado um caso de reação adversa, número que baixa para 0,4 no caso das reações graves.

Das reações adversas, 5214 são referentes à vacina da Pfizer/BioNtech (Comirnaty), num total de 5 131 042 doses administradas, 1836 da Astrazeneca (1 344 083 doses inoculada), 462 da Moderna (701 057 doses) e 64 da Janssen (194 850 doses).

Por cada 1000 doses administradas, foram comunicadas uma reação no caso da Pfizer, 1,4 no caso da AstraZeneca, 0,17 na Moderna e 0,3 na vacina da Janssen.

A maioria das reações foi registada em mulheres, com 2153 notificações de casos graves e 3158 não graves.

Em relação aos homens, foram comunicadas ao Infarmed 573 reações adversas graves e 989 não graves, sendo a faixa etárias dos 30 aos 49 anos as que registam mais notificações.

Mialgia (2418), dores de cabeça (2129), dor no local de injeção (2.013), febre (1.934), náusea (868), calafrios (862), fadiga (827), dores musculares ou nas articulações (687), alterações/aumento dos gânglios (564), fraqueza ou fadiga (398), tonturas (396), dor (389), mal-estar (380), vómitos (365) e diarreia (300), são alguns dos sintomas reportados.

O Infarmed refere que, com o decorrer do programa de vacinação, e o estímulo à notificação de suspeitas de reações adversas, também o número de notificações associadas a vacinas contra a Covid-19 tem aumentado.

É importante ressaltar que, desde o início da pandemia, em março de 2020, já morreram em Portugal 17 061 pessoas dos 862 926 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

Fonte: Lusa/TSF

Últimas notícias

Histórico de Notícias

« Julho 2021 »
Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
      1 2 3 4
5 6 7 8 9 10 11
12 13 14 15 16 17 18
19 20 21 22 23 24 25
26 27 28 29 30 31