Evora

Tribunal da Relação de Évora livra professor pedófilo da cadeia, depois de ter sido condenado

Regional 10 Out. 2018

O Tribunal da Relação de Évora livrou da cadeia um professor de natação condenado, em fevereiro, a sete anos e seis meses por cinco crimes de abuso sexual de menores.

No recurso, o Tribunal da Relação de Évora reduziu a pena a que o indivíduo havia sido condenado num tribunal de 1ª Instância para cinco anos, suspensa por igual período. No entanto, manteve a proibição de exercer atividades regulares com menores durante dez anos e a indemnizar em 22 500 euros as vítimas.

Joaquim Patrício, de 70 anos, professor de natação do Clube de Natureza de Alvito, aguardava em liberdade o trânsito da sentença que viu ser-lhe aplicada depois de ter sido provado no Tribunal de 1ª Instância, que o arguido cometia os crimes quando levava as meninas para piscina de Vidigueira.

A sustentar a redução da pena, os juízes da Relação consideraram que “apesar do alarme que este tipo de crimes causa”, do arguido não possuir antecedentes criminais, e no seu entender “não é muito elevado o grau de ilicitude dos factos, afigurou-se que “as penas parcelares aplicadas em primeira instância o foram em medida algo excessiva e demasiado elevadas”.

Últimas notícias

Histórico de Notícias

« Dezembro 2019 »
Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
            1
2 3 4 5 6 7 8
9 10 11 12 13 14 15
16 17 18 19 20 21 22
23 24 25 26 27 28 29
30 31