Mertola

Um Abutre-Preto e 5 Grifos foram libertados em Mértola

Regional 02 Fev. 2021

Um abutre-preto (Aegypius monachus), recolhido em Serpa, e 5 grifos (Gyps fulvus), encontrados exaustos em diferentes zonas do Baixo Alentejo e Algarve, foram libertados em Mértola por colaboradores do Rias-Centro de Recuperação e Investigação de Animais Selvagens, Olhão e vigilantes do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas.

O abutre-preto, batizado de Bruma devido ao nevoeiro que se fazia sentir na manhã da sua libertação(14 de janeiro)foi equipado com um emissor GPS-GSM fornecido pela Vulture Conservation Foundation(VCF), e libertado a partir de uma colina sobre o rio Guadiana, em Mértola.

De acordo com a informação avançada pelo centro de recuperação e investigação de animais selvagens,na sua página oficial de facebook, através dos dados transmitidos pelo emissor colocado, é possível saber que após a sua libertação rumou para leste e está agora em Espanha.

A devolução à Natureza deste abutre-preto é um importante contributo para conservar esta espécie.

O abutre preto está classificado como 'Criticamente em Perigo' em Portugal, e extinguiu-se como espécie reprodutora no nosso país na década de 1970, principalmente devido ao uso generalizado de carcaças envenenadas para eliminar predadores indesejados. Esta prática é atualmente ilegal e o seu uso está felizmente a diminuir.

O aumento da população desta espécie em Espanha fez com que abutres pretos passassem a ser vistos com regularidade em Portugal, com a primeira reprodução registada no centro de Portugal em 2010.

Em 2015, a espécie recolonizou a Herdade da Contenda, em Moura, , e tem criado com sucesso desde então nesse local - existem agora pelo menos dez casais reprodutores.

Últimas notícias

Histórico de Notícias

« Junho 2022 »
Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
    1 2 3 4 5
6 7 8 9 10 11 12
13 14 15 16 17 18 19
20 21 22 23 24 25 26
27 28 29 30