Alter do Chao

Coudelaria de Alter “atravessou momentos de penúria”, mas agora “vive o seu melhor momento de sempre”, diz Ministro da Agricultura no lançamento da 1ª Pedra do Hotel Vila Galé Alter (c/som e fotos)

Publicado em Reportagens 15 fevereiro, 2019

Decorreu esta sexta-feira (15 de fevereiro), a Cerimónia de Lançamento da 1ª Pedra do Hotel Vila Galé Alter, em Alter do Chão, um hotel temático de 4 estrelas que ficará instalado na Coudelaria de Alter.

O contrato de concessão da Coudelaria de Alter ao Grupo Vila Galé por 50 anos foi assinado em setembro de 2018, e o investimento total para a recuperação do edificado está estimado em 8 milhões de euros.

A cerimónia contou com a presença do Ministro da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural, Luís Capoulas Santos, Ministro Adjunto e da Economia, Pedro Siza Vieira, e do Secretário de Estado da Agricultura e Alimentação, Luís Medeiros Vieira.

Luís Capoulas Santos, Ministro da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural, afirma em declarações à RC que a Coudelaria de Alter do Chão “atravessou momentos de penúria” e agora “vive o seu melhor momento de sempre”.

Atualmente, tem “um modelo de gestão definido, tem uma situação financeira garantida e equilibrada”.

O governante aponta um trabalho no sentido de transformar a coudelaria “naquilo que sonhámos há 20 anos, que era transformá-la num verdadeiro polo de desenvolvimento do Norte Alentejano, à volta desse produto único que é o cavalo de Alter”, Alter-Real.

“Queremos meter esta coudelaria no circuito internacional do cavalo”
Luís Capoulas Santos

O Ministro da Agricultura aponta a coordenação com agentes do território, como a Escola de Equitação e o Museu do Cavalo que virá a ser criado, como potencial para o desenvolvimento de “um conjunto de atividades que vão atrair clientelas diversificadas”.

Para além do turista comum, Capoulas Santos afirma estar certo de que “passarão a convergir os amantes do cavalo, de todo o mundo”, num espaço que não só potencia o turismo, como valoriza a raça endógena.

“É um projeto que só terá sucesso se todas as suas componentes forem igualmente bem-sucedidas”, afirma quando questionado sobre as parcerias envolvidas no projeto, nomeadamente dos ministérios da agricultura, turismo, cultura e educação, assim como a autarquia e a Universidade de Évora.

Pedro Siza Vieira, Ministro Adjunto e da Economia afirma que “é preciso transformar a coudelaria, como estabelecimento hoteleiro, num polo de desenvolvimento regional”.

“A Coudelaria de Alter é um património único”
Pedro Siza Vieira

 

A Coudelaria de Alter distingue-se por ser a mais antiga do mundo a funcionar no mesmo local, e “é preciso mostrar isto ao mundo”.

Este projeto permitirá a dinamização da atividade económica do território, defende, criando emprego e atraindo pessoas até ao concelho.

O presidente do grupo Vila Galé, Jorge Rebelo de Almeida, referiu-se ao empreendimento hoje lançado como “uma aposta na viabilidade, chegou a hora destes projetos do interior terem espaço. O segredo está em dinamizar o interior, aproveitando os turistas que já temos no Algarve, em Lisboa e no Porto e mostrar-lhes o interior”.

“eu até fico emocionado quando falo no nosso interior, temos lugares no interior maravilhosos”

Jorge Rebelo de Almeida diz que “toda a gente no interior está convencida que o sucesso é o turismo com a preservação dos valores tradicionais. Temos de valorizar tudo aquilo que é português”.

Relativamente ao empreendimento em si, Jorge Rebelo de Almeida diz que “nesta coudelaria temos de refazer tudo, o espaço existe, mas precisa de ser refeito. No entanto alguns espaços não precisam de grandes mexidas só precisam de uma reformulação. Estimamos um investimento de cerca de 8,5 milhões de euros e vamos trabalhar em rede, pois temos Elvas a abrir no final de maio”. O grupo Vila Galé diz ainda que “aqui vamos gerar 40 posto de trabalho diretos, vamos formar pessoas e vamos criar aqui um polo de desenvolvimento”.

Durante a cerimónia de lançamento da primeira pedra, o presidente da Câmara Municipal de Alter do Chão, Francisco Reis, mostrou-se “ extremamente emocionado, é um processo que se iniciou em 2016”.

“O cavalo é um turismo com uma expressão económica elevada, diferente de muitos turismos de massa”

O autarca disse que “todos estes projetos são para que Alter e o Alto Alentejo deixem de ser regiões interiores e passem a ser regiões ricas e construtivas, onde existe emprego, onde vamos deixar de nos sentir sozinhos" e deu ainda a conhecer que “no próximo ano iremos promover um evento de carater internacional, um projeto inovador, diferenciador, único no mundo, que tem muito a ver com a economia nacional promovendo o cavalo Alter Real".

Últimas notícias

Histórico de Notícias

« Março 2019 »
Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
        1 2 3
4 5 6 7 8 9 10
11 12 13 14 15 16 17
18 19 20 21 22 23 24
25 26 27 28 29 30 31