Imprimir esta página

Portalegre

Eduardo Cabrita afirma “o rejuvenescimento e reforço da GNR” no compromisso de honra de 195 novos guardas. A RC mostra-lhe as fotos (c/som)

Publicado em Reportagens 17 maio, 2019

A Guarda Nacional Republicana realizou a Cerimónia do Juramento de Bandeira dos formandos do 41.º Curso de Formação de Guardas, esta sexta-feira, 17 de maio, pelas 10h00, no Estádio Municipal de Portalegre.

A Rádio Campanário marcou presença e recolheu as declarações do Ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, que presidiu a toda a cerimónia.

Eduardo Cabrita começa por referir aos nossos microfones que “hoje apenas juraram bandeira aqueles que não tinham formação militar”, acrescentando que “o curso tem um total de 400 formandos”.

O Ministro da Administração Interna mostrou a sua satisfação com o reforço dos quadros das diferentes forças de segurança, referindo que “no ano passado tivemos 950 militares em formação na GNR, este ano temos estes 400.Com a realização do compromisso de honra o Ministro afirma “o rejuvenescimento da GNR, reforçando a força militar nas suas várias componentes”.

Eduardo Cabrita destaca ainda os 200 elementos que o Ministério da Administração Interna se encontra a recrutar “fazendo renascer a Guarda Florestal”, que segundo ministro “na última década não recrutou novos efetivos”.

Esta aposta no “renascimento” da Guarda Florestal é uma aposta forte “na defesa da floresta e do ambiente”.

O Ministro considera ainda que “sem segurança não é possível investimento”, valorizando “o empenho e dedicação da Guarna Nacional Republicana nas suas mais variadas vertentes na sociedade portuguesa”

“Sem segurança não haverá qualidade de vida”
Eduardo Cabrita

Para Eduardo Cabrita “as mulheres e homens, hoje aqui presentes” terão um papel “decisivo no futuro, no compromisso que é a razão de ser da guarda, a defesa da lei, a defesa da grei”.

Eduardo Cabrita finalizou a sua intervenção aos nossos microfones desejando “o maior sucesso a todos ao serviço da Guarda Nacional Republicana”.