Imprimir esta página

Vendas Novas

“O ADN de Vendas Novas e o ADN da Bifana misturam-se de uma forma que é impossível separar”, diz autarca na Feira da Bifana. A RC deixa-lhe as fotos (c/som)

Publicado em Reportagens 20 maio, 2019

Entre os dias 17 e 19 de maio, decorreu a 2ª edição da Feira da Bifana de Vendas Novas, que contou com a participação de oito estabelecimentos detentores da marca registada "Bifanas de Vendas Novas".

Luís Dias, presidente da Câmara Municipal de Vendas Novas, em declarações à RC presente no certame, diz que Vendas Novas e a bifana surge como “uma aliança perfeita que esta Feira da Bifana pretende promover e afirmar”.

O evento encontra-se inserido numa “estratégia de afirmação de Vendas Novas como Capital da Bifana”, aponta o autarca, defendendo que “há bifanas em muitos pontos do país, mas como as nossas não há igual”

“O ADN de Vendas Novas e o ADN da Bifana misturam-se de uma forma que é impossível separar”
Luís Dias

Questionado sobre o peso da Bifana na economia do concelho, afirma que é “grande” ao nível não só de criação de emprego direto, como arrastando “outras economias paralelas”.

O autarca avança que há 2 anos eram vendidas anualmente em Vendas Novas “cerca de 1 milhão de bifanas”, enquanto números do final de 2018 apontam para 1 milhão e meio. “Em dois anos, um crescimento de meio milhão de bifanas é de facto extraordinário”, declara.

O crescimento da venda de bifanas contribui ainda para a dinamização do setor do turismo no concelho de Vendas Novas, conclui.