Estremoz

"Os bonecos de Estremoz representam a nossa história, são a alma de cada artesão", diz Francisco Ramos no II Aniversário da Inscrição da Produção de Figurado em Barro de Estremoz (c/som e fotos)

Reportagens 08 Dez. 2019

O Município de Estremoz assinalou o II Aniversário da Inscrição da Produção de Figurado em Barro de Estremoz, no passado sábado (7 de dezembro), na Lista Representativo do Património Cultural Imaterial da Humanidade.

A cerimónia contou com a presença do Presidente da Câmara Municipal de Estremoz, Francisco Ramos, o Diretor do CEARTE, Luís Rocha, o Diretor do Museu Municipal, Hugo Guerreiro, e ainda do Formador e Artesão, Jorge Palmela.

Decorreu também a entrega dos diplomas aos formandos do curso de formação em “Técnicas de Produção de Bonecos de Estremoz”, bem como, a entrega da Certificação pele Adere-Certifica ao barrista estremocense Duarte Catela.

A Rádio Campanário esteve presente e falou com o autarca de Estremoz, Francisco Ramos, que começa por referir que “estes cursos têm por objetivo dar continuidade a uma arte secular”.

Francisco Ramos lembra que “na primeira parte do século XX esta arte esteve praticamente perdida, felizmente que foi possível restabelecer esta arte”, acrescentando que “estas ações de formação e muitos outros atos que se irão seguir, visam a salvaguarda desta arte e serão a garantia da continuidade”.

Questionado pela RC sobre o sentimento muito forte demonstrado pelos artesãos durante a cerimónia, Francisco Ramos, considera que “tivemos ali a prova viva do que simboliza para formandos e formadores”.

O edil refere que “isto é mais do que produzir um boneco, cada boneco tem alma, cada boneco é um objeto único, no fundo cada boneco transmite aquilo que vai na alma de cada artesão”.

“Os formandos têm de perceber a importância desta arte, nós estamos aqui a transmitir a nossa história”
Francisco Ramos

 

Francisco Ramos considera que “podem escrever livros e faze filmes, aqui são os bonecos que representam a nossa história”, acrescentando que “pretendemos preservar uma obra de arte com uma profundidade muito grande do ponto de vista emocional”.

Questionado pela RC sobre onde podem ser visitados os bonecos feitos pelos formandos, o presidente da Câmara Municipal de Estremoz refere que “para já estão expostas nestas vitrines aqui nos corredores da câmara municipal de Estremoz”, no entanto, “temos um museu onde estão bonecos com muitos anos, uma coleção fabulosa já com mais de dois séculos”.

O autarca destaca que “a ação de formação terminou”, sendo que agora “cada artesão seguirá o seu caminho”, tendo a Câmara Municipal “a expetativa que cada um deles, ou a tempo inteiro ou a tempo parcial continue a dar continuidade a esta arte”.

A RC questionou Francisco Ramos sobre a continuidade destas ações de formação, ao que o autarca afirma “certamente que sim”, lembrando que “os candidatos eram muito mais, no entanto não foi possível acolher todos nesta formação”.

“Espero que num futuro próximo seja possível refazer formação nesta área”
Francisco Ramos 

O edil lembra ainda que “desde a primeira hora que a câmara apostou forte nesta área, desde a candidatura (que demorou cerca de 5 anos) até estas ações de formação”.

 

 

Últimas notícias

Histórico de Notícias

« Julho 2020 »
Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
    1 2 3 4 5
6 7 8 9 10 11 12
13 14 15 16 17 18 19
20 21 22 23 24 25 26
27 28 29 30 31