16 novembro, 2018
Augusta Serrano
Ecos da Planura
09:00-11:00

Reguengos de Monsaraz

Reguengos de Monsaraz: Os Lírios do Campo apresentam 1º CD com homenagem ao seu fundador (c/som e fotos)

Publicado em Reportagens 15 outubro, 2018

No passado sábado, 13 de outubro, o grupo Os Lírios do Campo apresentou o seu primeiro CD, «Os Rapazes do Rodas Baixas», em Reguengos de Monsaraz.

O fundador do grupo coral e instrumental de São Marcos do Campo, formado há 17 anos, Manuel Agostinho, foi homenageado neste concerto de lançamento do CD.

Em declarações à Campanário, Margarida Belo, porta-voz do grupo, afirma que Os Lírios do Campo são um grupo familiar e para pessoas “dos 8 ao 80”.

Atualmente, é constituído por “cerca de 20 elementos […] temos o mais novo com 3 anos e temos o mais velho com 43”, aponta.

“Não há idade para quem quiser entrar para os Lírios do Campo”

A gravação do CD era há muito pensada pelo grupo, tendo sido agora proporcionada pela autarquia de Reguengos de Monsaraz, no âmbito da iniciativa municipal «Mês da Música».

O grupo é proveniente de “uma aldeia muito pequena, muito envelhecida”, mas é bastante apoiado pela população, sendo as suas atuações muito participadas.

Élia Quintas, vice-presidente da Câmara Municipal de Reguengos de Monsaraz, afirma à RC que Manuel Agostinho (Rodas Baixas), “foi sempre o embaixador deste grupo, e quem puxou por eles até hoje, apesar da idade e da debilidade”.

A autarca aponta a participação do município na homenagem à “pessoa que os transformou (Os Lírios do Campo) naquilo que são hoje”, através do apoio prestado na conceção deste CD.

Manuel Agostinho, o fundador, tem uma “história sempre de amor pela música […] que fez com que ele começasse a incentivar os mais novos”. A pouca idade de alguns membros do grupo “também lhes garante algum futuro”.

“Reguengos de Monsaraz foi sempre um bom embrião de grandes músicos”

Questionada sobre o talento em várias áreas, proveniente do concelho de Reguengos de Monsaraz, a vice-presidente aponta o trabalho do município para evidenciar todos, nomeadamente na programação do «Mês da Música» que “além de ser transversal nas várias tipologias de música […] traz artistas de fora, mas ao mesmo tempo promove artistas da terra”.

Neste sentido, o cartaz já contou com um artista de Monsaraz, Mário Caeiro e com um Encontro de Bandas onde participou a Banda de Reguengos de Monsaraz. Terá ainda lugar um concerto dos Xutos e Pontapés, terminando este mês “com uma parceria que temos com o nosso núcleo da Liga dos Combatentes em que teremos, para além da nossa Banda Filarmónica a tocar, temos também o orfeão de Alcochete”.

“Aquilo que tentamos é chamar até nós aquilo que tem qualidade em termos musicais e culturais, mas não deixar de promover aquilo que é nosso”, conclui.

 

Últimas notícias

Histórico de Notícias

« Novembro 2018 »
Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
      1 2 3 4
5 6 7 8 9 10 11
12 13 14 15 16 17 18
19 20 21 22 23 24 25
26 27 28 29 30