Evora

UNITATE pretende gerar “estratégias” e “impacto prático” com seminário sobre combate à pobreza, diz o presidente (c/som e fotos)

Reportagens Escrito por  17 Out. 2017

Assinala-se esta terça-feira, 17 de Outubro, o Dia Internacional para a Erradicação da Pobreza, e como tal, a Unitate – Associação de Desenvolvimento da Economia Social promoveu no Auditório da DGEstE, em Évora, o Seminário: “A Concertação Estratégica no Combate à Pobreza”.

Tiago Abalroado, presidente da Unitate, declarou à Rádio Campanário que a iniciativa se trata de uma “reflexão sobre os mecanismos de concertação, em torno das diferentes que se podem levar a cabo no combate à pobreza”.

A celebrar o seu quarto aniversário, a Unitate tem desenvolvido “um trabalho muito próximo da economia social e das instituições”, referiu o presidente, que prestativa para o futuro “reforçar o posicionamento e dar continuidade à estratégia desenhada”.

Pretende-se com esta iniciativa “gerar algum impacto prático para os territórios”, indicou Tiago Abalroado, referindo a possibilidade de “nascer alguma estratégia concertada entre os agentes”, para que os apoios sejam bem “distribuídos e aproveitados”, evitando a “multiassistência”.

De acordo com Sónia Ramos, diretora do Centro Distrital de Segurança Social de Évora, sublinha que a pobreza “tem muito a ver com a ausência de acesso à cultura, educação, saúde e, muitas vezes, ausência de princípios base no sentido das escolhas da vida”.

Sónia Ramos considera a pobreza no Alentejo “muito camuflada”, acrescentando que “acaba por ser aligeirada pelas relações de vizinhança”.

No que diz respeito ao número de beneficiários do Rendimento Social de Inserção (RSI) “não é muito elevado”, sustentando que “pode ser um indicador” de que a pobreza não é tão flagrante no Alentejo como outros pontos do país.

A diretora considera que o distrito de Évora “está de facto munido de equipamentos e instituições” de apoio a estas situações, onde a resposta social “em boa parte é superior a outros distritos do país”, facto que relaciona com a “generosidade e hospitalidade” do alentejano”.

Em conversa com a RC esteve também António Costa da Silva, deputado da bancada social-democrata na Assembleia da República, declara que o Alentejo tem “instituições muito fortes” a trabalhar no combate às dificuldades dos mais desfavorecidos.

O deputado sublinha ainda que “o Estado tem um papel decisivo no financiamento”, destacando a posição dos sociais-democratas, em que os privados “podem e devem ter um papel determinante”, delegando a estas instituições “a capacidade para fazer e também o envelope financeiro” pela razão de estarem “muito próximas do terreno”.

Últimas notícias

Histórico de Notícias

« Outubro 2022 »
Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
          1 2
3 4 5 6 7 8 9
10 11 12 13 14 15 16
17 18 19 20 21 22 23
24 25 26 27 28 29 30
31