33.2 C
Vila Viçosa
Segunda-feira, Julho 22, 2024

Ouvir Rádio

Data:

Partilhar

Recomendamos

“Vão haver novos apoios, mas ninguém pode contar com descontos ou isenções generalizados para toda a população” diz João Grilo (c/som)

Em entrevista à RC o Presidente da Câmara Municipal de Alandroal, João Grilo, esclarece sobre os novos apoios sociais que vão ser implementados no município.

“Temos uma rede criada pela ação social, pela Academia do Sucesso e criámos uma rede de contacto com as pessoas que podiam estar em situação mais frágil, que são os idosos, em primeiro lugar, e aqueles que já eram nossos beneficiários nos programas de apoio”.

Refere que apesar situação que se vive devido à pandemia COVID-19 não tem existido uma maior procura destes apoios e que todos os novos casos que surgiram foram “pontuais e facilmente atendidos”. O município acompanha de perto estas situações e o Presidente explica que foi também pedido à população para que ajude na sinalização de casos mais necessitados.

Apesar de até agora o cenário não ser de grande gravidade em termos de apoios sociais, o autarca acredita que com o “prolongar da situação vão aparecer novos casos e as pessoas vão entrar em dificuldades” e a autarquia pretende conseguir ter uma resposta adequada para dar a estas situações.

Afirma que irá haver “com certeza reduções e apoios no pagamento da água, da eletricidade, do gás e de bens de primeira necessidade, mas sempre enquadrados em situações de manifesta perda de rendimentos, devidamente analisada através dos nossos regulamentos de apoio e devidamente acompanhada pelos serviços de ação social”.

Como explica, estes apoios são para casos que realmente o necessitem à luz dos regulamentos do município pois “ninguém pode contar que, com a situação que o município vive, possa haver descontos ou isenções generalizadas para toda a população”.

Generalizar as isenções não podem ser para toda a população pois “ao serem aplicadas a toda a gente beneficiariam igualmente os que precisam e os que não precisam e os recursos do município são muito escassos e devem ser canalizados para quem realmente precisa”.

Desta forma será feita uma triagem das pessoas mais vulneráveis e que realmente necessitam destes apoios municipais. “Não poderemos nunca baixar taxas de IMI ou tarifas de água de forma generalizada, mas poderemos apoiar, como complemento aos apoios sociais do Estado, quem perdeu rendimentos e quem perdeu o emprego que tenha uma ajuda extra para não ter que pagar a água, eletricidade e gás e poder ter acesso a bens alimentares de primeira necessidade e até apoios de arrendamento para quem tem arrendamento de habitação”.

Populares