25.4 C
Vila Viçosa
Sexta-feira, Junho 21, 2024

Ouvir Rádio

Data:

Partilhar

Recomendamos

“A linha ferroviária Évora-Elvas é a maior linha nova em cem anos;Évora é o local indicado para este debate” diz Sec. De estado das Infraestruturas(c/som)

 

Arrancou hoje em Évora, no auditório da CCDR Alentjo,  a IV edição do Energy and Climate Summit, dedicada ao tema da Mobilidade e do Transporte Ferroviário.

O evento é organizado pelo Projeto GUARDIÕES – uma parceria entre o Instituto Politécnico de Portalegre (IPP), o Fórum da Energia e Clima (FEC) e a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Alentejo (CCDRA) .

Na sessão de abertura, realizada esta manhã, esteve presente o Secretário de Estado das Infraestruturas, Frederico Francisco, que interveio nesta mesma sessão assim como o Presidente da Câmara Municipal de Évora, Carlos pinto de Sá, a Reitora da Universidade de Évora, Hermínia Vilar, o Vice-Presidente da CCDR Alentejo, Aníbal Costa Reis, Luis Loures, Presidente do IP de Portalegre, Ricardo campos, Presidente do Fórum de Energia e Clima e Isabel pardo de Vera, Secretária de Estado dos Transportes, Mobilidade e Agenda de Espanha.

Durante dois dias, especialistas e responsáveis do setor da mobilidade, governantes e autarcas vão debater a estratégia da mobilidade e do transporte ferroviário no âmbito da transição digital, ambiental e energética; a mobilidade e o desenho das cidades; a ferrovia na coesão territorial e no desenvolvimento económico; a intermodalidade: como ir do ponto A ao ponto B e a necessidade de mais transportes públicos.

A Rádio campanário esteve presente e falou com Frederico Francisco, Secretário de estado das Infraestruturas, que começou por nos referir “não deixa de ser adequado fazer este evento em Évora uma vez que a maior obra ferroviária em curso no País decorre precisamente neste território e que é a nova linha entre Évora e Elvas.”

A propósito desta linha ferroviária o Governante sublinha “esta é a maior extensão de linha nova construída nos últimos cem anos e por isso é completamente adequado realizar aqui o evento, embora com uma discussão muito mais alargada e que vai muito além da questão ferroviária.”

Este evento pretende ainda debater, refere “o problema das alterações climáticas e o que isso traz para a humanidade como um todo eos compromissos importantes, que os países assumiram, onde Portugal se insere.”

Este evento traduz-se num ciclo de cinco conferências, sendo esta a quarta conferência que, como refere o Secretário de Estado, está também muito focado na questão dos transportes pois “estes representam 25% das emissões de gases com efeito de estufa.”

 

Questionado pela Rádio Campanário relativamente ao estudo de viabilidade efetuada para a instalação de um terminal de cargas e descargas em Alandroal, no âmbito da Ferrovia, o Secretário de Estado das Infraestruturas referiu “devo confessar que não conheço esse estudo em detalhe e por isso não sei se o estudo chega a uma conclusão definitiva sobre isso” acrescentando ainda assim “de um modo geral, o princípio é que se existe carga para transportar num determinado local , em quantidade suficiente para num justificar um comboio, então sim.”

No que diz respeito à linha que liga Évora a Elvas, linha em construção, o Secretário de Estado refere “o Alentejo é atravessado por um dos principais eixos do País a Espanha e, em particular, muito do tráfego que liga o Porto de Sines mas também toda a região de Lisboa a Espanha e que circula atualmente pela Autoestrada, poderá passar a circular por comboio uma vez que o transporte ferroviário tem custos mais baixos.”

No que diz respeito à mobilidade e à necessidade de reforçar os transportes públicos no interior e nomeadamente no Alentejo, o Secretário de Estado sublinha “a aposta do Governo é completamente inequívoca pois estamos a fazer o maior investimento de que há memória na Ferrovia , também no transporte urbano, no rodoviário, uma clara aposta na mobilidade sustentável.”

Populares