23.2 C
Vila Viçosa
Domingo, Abril 14, 2024

Ouvir Rádio

Data:

Partilhar

Recomendamos

Adega de Borba vai investir meio milhão de euros: “temos a ambição de crescer acima de 15% em 2024” diz Nuno Brito, Diretor Geral(c/som)

A Adega de Borba é incontestavelmente uma referência no setor dos vinhos em Portugal e no Estrangeiro.

Detentora de inúmeros prémios, esta Adega Alentejana, fundada em 1955, foi a primeira de uma série de Adegas constituídas no Alentejo e reúne atualmente mais 300 viticultores associados que cultivam cerca de 2.000 hectares de vinha, distribuindo por 70% castas tintas e 30% de castas brancas.

Para 2024, a Adega de Borba , tem previstos novos investimentos tal como nos adiantou Nuno Brito, Diretor Geral, com o objetivo de reforçar a sua posição no mercado nacional e internacional.

Nuno Brito começou por nos referir que para este ano a Adega “prevê um investimento superior a meio milhão de euros, integrado na estratégia desenvolvida anualmente e que prevê melhorias e renovação da Adega pois trata-se de uma obra que exige uma renovação constante , depois dos grandes investimentos efetuados no início da década passada ” Para este ano estão ainda previstos investimentos ao nível dos “equipamentos de transportes de uvas, de controle de maturação assim como ao nível do armazenamento de vinho .”

Nuno Brito adiantou ainda que “temos em contínuo um reforço dos investimentos em equipamentos de energia renovável, nomeadamente fotovoltaicos, onde instalámos recentemente uma grande área da cobertura do armazém de produto acabado, um armazém com cerca de 5 mil metros quadrados e que nos permite que um total de 25% da energia consumida seja já oriunda de fontes de energia renovável e ainda conseguimos vender um terço dessa produção à rede.”

No que diz respeito ao reforço da posição da Adega nos mercados nacionais e internacionais, o Diretor Geral da Adega frisou “há sempre uma tentativa de encontrar novos distribuidores em mercados que não estejam num ponto de consolidação ; são sempre testes que fazemos, procuramos em primeiro lugar manter e reforçar onde já há uma visibilidade e um reconhecimento da marca e esses são mercados conhecidos como o Brasil, Estados Unidos, Europa(França, Alemanha, Luxemburgo e Holanda)” acrescentando “vamos tentar ainda que mercados da Ásia recuperem depois da quebra dos últimos anos.”

O reforço da Adega passa ainda por “ter novas marcas , ter materiais e pontos de venda que sejam diferenciadores para que o consumidor os valorize, tentamos estar nas maiores feiras nacionais e internacionais e temos o objetivo de desenvolver novos vinhos, com perfis alternativos por forma a atrair novos consumidores.”

Em 2023 a Adega Cooperativa de Borba teve um crescimento de faturação acima de dois dígitos. Para 2024, explica Nuno Brito “embora o cenário e o contexto económico não seja o mais favorável, a Adega tem a ambição forte de crescer também acima de 15%.”

Populares