22 C
Vila Viçosa
Sábado, Maio 18, 2024

Ouvir Rádio

Data:

Partilhar

Recomendamos

Alqueva forneceu mais 15% de água para rega em 2022!

O volume de água para rega fornecida pela albufeira do Alqueva aos perímetros do seu empreendimento de fins múltiplos e confinantes aumentou em 2022, face ao ano anterior, revelou hoje a empresa gestora do sistema.

De acordo com o Relatório de Caracterização dos clientes da Empresa de Desenvolvimento e Infraestruturas do Alqueva (EDIA) em 2022, neste ano o volume de água fornecida pelo Sistema Global de Alqueva aos clientes da EDIA totalizou um volume de 516 585 724 m3 de água.

O maior volume, na ordem dos 363.223.570 m3, destinou-se aos beneficiários dos perímetros do Empreendimento de Fins Múltiplos do Alqueva (EFMA) e regantes precários.

“Verifica-se que existiu um aumento do consumo em cerca de 15% [relativamente a 2021, que foi de 315.075.844 m3], tendo este aumento face a 2018 atingido os 85%”, frisa o relatório.

No documento, a EDIA , nas suas principais conclusões pode aferir-se que os clientes da EDIA, no que diz respeito ao fornecimento de recursos hídricos, podem ser divididos em 3 grupos:

Agricultores, composto pelo grupo mais numeroso de clientes, quer a nível individual, quer como sociedades. São geralmente denominados os “regantes de Alqueva”. Este grupo de agricultores foi criado com a implementação de Alqueva, e a disponibilização de recursos hídricos, a qual começou, de forma mais consistente, após 2010. Este grupo representou em 2022 o maior volume de água consumido em Alqueva 390.388.989m3, que é 76 % do total.

Associações de Beneficiários, pré-existentes à implantação do projeto de Alqueva, gerem Aproveitamentos hidroagrícolas limítrofes. Em algumas situações, como no caso dos Perímetros de Rega do Roxo e de Odivelas, a sua implementação foi realizada tendo por pressuposto a sua ligação ao Alqueva. O volume consumido em 2022 foi de 105.677.593 m3, representando cerca de 20 % do total distribuído por Alqueva.

Empresas do Grupo Águas de Portugal, representam os setores de consumo prioritários. O volume consumido foi de 9.691.651 m3, o que representa 4 % do total.

Em termos de áreas regadas, a soma dos grupos “agricultores” e “Associações de Beneficiários”, foi perto dos 151 mil hectares, enquanto o abastecimento público se dirigiu a 13 concelhos do Alentejo.

Com este trabalho consegue-se uma abordagem integrada da componente socioeconómica do EFMA que permitirá, no futuro, caracterizar com maior fiabilidade, as principais partes interessadas presentes no EFMA e que influenciam a EDIA e/ou são influenciadas pelo desempenho da Empresa.

Pode consultar o relatório em: https://radiocampanario.com/novo/wp-content/uploads/2023/03/Relatorio_Caracterizacao_Clientes_EDIA_2022.pdf 

Populares