20.4 C
Vila Viçosa
Domingo, Junho 23, 2024

Ouvir Rádio

Data:

Partilhar

Recomendamos

Aníbal Cavaco Silva inaugurou obras de remodelação e ampliação da Santa Casa de Portalegre. “Portugal deve muitíssimo a instituições desta natureza”, afirma Cavaco Silva (c/som e fotos)

O Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva, inaugurou esta quinta-feira, dia 11 de fevereiro, as obras de remodelação e ampliação das instalações da Santa Casa da Misericórdia de Portalegre.

A obra de ampliação e remodelação do edifício sede da Santa Casa de Portalegre teve  inicio em Dezembro de 2012 e foi financiada pela medida 6.12 do POPH com a comparticipação de cerca de 2.200.000,00€ tendo tido um custo de 3.166.838,22€, o que representa um investimento privado superior a um milhão de euros.

As novas instalações da Misericórdia de Portalegre são o Lar Residencial do Espírito Santo, uma resposta social para pessoas com deficiência e a Estrutura Residencial para Pessoas Idosas Dr. Plínio Serrote.

O Presidente da República no seu discurso enalteceu o papel das Misericórdias dizendo que ao longo do seu mandato visitou dezenas de instituições, afirmando que está em condições “de testemunhar a obra notável realizada pelas Misericórdias, Instituições de Solidariedade Social, instituições da igreja”.

Cavaco Silva salientou que “Portugal deve muitíssimo a instituições desta natureza”, pelo “que fizeram, o que estão a fazer, e o que vão continuar a fazer pelos desfavorecidos da nossa sociedade, os idosos, os deficientes e as crianças”.  

O provedor da Santa Casa da Misericórdia de Portalegre, José Serrote, declarou que esta obra era “uma ambição de há muitos anos porque as condições que se viviam no anterior lar eram condições complicadas, (…) hoje é um dia feliz para todos”.

Instado, refere que financeiramente “há dificuldades, só recorrendo a empréstimo o que é sempre complicado”.

Para Manuel Lemos, Presidente da União das Misericórdias Portuguesas, o Lar da Misericórdia de Portalegre “não correspondia às legítimas preocupações de qualidade e dignidade com os idosos que as Misericórdias têm, a Misericórdia em boa hora com fundos próprios e fundos comunitários fez esta recuperação”.

Manuel Lemos assinala que esta inauguração “é provavelmente o último ato público do Presidente da República que foi um grande amigo das Misericórdias, uma pessoa que percebeu o papel que as Misericórdias podiam ter como almofada social e como agentes de desenvolvimento local e isso é algo que nos sensibiliza e nos toca muito”.  

A Estrutura Residencial para Pessoas Idosas é uma Resposta Social tem capacidade para acolher 67 utentes de ambos os sexos e consiste em proporcionar aos Utentes alojamento coletivo, de utilização temporária ou permanente, onde são desenvolvidas atividades de apoio social e prestados cuidados de enfermagem. Pretende ser uma casa de família dos que necessitam de assistência e apoio, contribuindo para a estabilização, autonomia ou estimulação do envelhecimento ativo e integração social.

A ERPI permite acolher pessoas idosas, cuja situação social, familiar, económica ou de saúde, não lhes permita permanecer nos seus lares e desta forma proporcionar-lhes serviços permanentes e adequados aos seus problemas.

Para além do alojamento, os utentes usufruem também de alimentação, assistência religiosa, ajuda psicológica e ocupação organizada e acompanhada dos tempos livres de forma a desenvolver e potenciar o convívio social entre os Utentes e os seus familiares, amigos e a comunidade.

O Lar Residencial tem capacidade para 39 utentes de ambos os sexos, sendo um estabelecimento para alojamento coletivo, de utilização temporária ou permanente, de pessoas com deficiência e incapacidade que se encontrem impedidas de residir no seu meio familiar.

Nas suas atividades, visa contribuir para o bem-estar e melhoria da qualidade de vida dos residentes promovendo estratégias de reforço da autoestima pessoal e da capacidade para a organização das atividades da vida diária, manter a funcionalidade e a autonomia do residente, facilitar a integração em outras estruturas, serviços ou estabelecimentos mais adequados ao projeto de vida dos residentes, promover a interação com a família e com a comunidade. 

Os utentes usufruem de alojamento, alimentação adequada às suas necessidades respeitando as prescrições médicas, apoio nos cuidados de higiene pessoal, apoio no desempenho das atividades de vida diária, tratamento de roupa, apoio no cumprimento de planos individuais de medicação e no planeamento e acompanhamento regular de consultas médicas e outros cuidados de saúde.

Além disso, o Lar Residencial desenvolve atividades desportivas, de animação sociocultural e lúdico-recreativas, podendo ainda disponibilizar outros serviços, tais como fisioterapia, hidroterapia, cuidados de imagem e transporte.   

Populares