17.6 C
Vila Viçosa
Sábado, Junho 15, 2024

Ouvir Rádio

Data:

Partilhar

Recomendamos

Artista Alentejano cresceu longe do mar e hoje pinta o lado invisível dos oceanos, como a pesca ilegal

Effe nasceu e cresceu no interior do Alentejo, sem ter o mar como vista de fundo, mas hoje tem os oceanos como figura principal de seu novo mural, em Lisboa. O artista está a participar de um projeto do jornalista norte-americano Ian Urbina, o The Outlaw Ocean Mural Project, que têm como objectivo dar a conhecer um outro lado do oceano, como a pesca ilegal, trabalho escravo ou poluição.

Por ter crescido longe do mar, Effe afirma que não entendia as particularidades dos oceanos, mas agora percebe “como é vasto e enorme”. Para o mural, o artista escolheu um mural perto do rio Tejo, em Alcântara, pois estes contêm “a força do mar e os animais”, ao horizonte.

 

O alentejano foi convidado a participar deste projeto, que já conta com murais no Brasil, Irlanda, Chile, EUA e, agora, Portugal, pelo jornalista Ian Urbina, que diz acreditar que “Uma peça de arte é uma forma mais leve de as confrontar com as coisas más que estão a acontecer”.

Quanto a relação com o oceano, Effe afirma que, ao crescer longe do mar, tinha apenas uma “relação com o oceano era (com) a praia, talvez a alimentação, mas nunca foi algo que explorasse”.

O mural do artista alentejano pode ser observado em Alcântara, numa “casa das máquinas” da empresa Águas de Portugal, que cedeu o espaço.

Para ler o artigo na íntegra, clique aqui

Fonte e imagem: Público

Populares