34.8 C
Vila Viçosa
Quarta-feira, Julho 17, 2024

Ouvir Rádio

Data:

Partilhar

Recomendamos

“Atualmente temos 60 pessoas sem abrigo em Évora mas há um aumento na população migrante” diz Carla Malaca, Projeto IN-Visibilidade(c/som)

Decorre até amanhã, em Évora, a Pintura de Murais pela artista Rita Ravasco, alusivos à temática da Pessoa em Situação de Sem Abrigo, numa ação dinamizada pelo projeto IN-Visibilidade no âmbito da AT|3-Comunidade, Combate ao Estigma, com a colaboração da agência de comunicação IM – Brand Marketing & Communication, e em estreita articulação com o Agrupamento de Escolas Gabriel Pereira,

IN-Visibilidade é um projeto financiado pelo Programa Operacional Alentejo 2020, coordenado com intervenção junto de Pessoas em Situação de Sem Abrigo no concelho de Évora, que conta com a coordenação Centro Humanitário de Évora da Cruz Vermelha Portuguesa, e com a Pão e Paz – Associação Solidariedade Social, e a Santa Casa da Misericórdia de Évora como entidades parceiras executoras.

A Rádio Campanário falou com Carla Malaca, coordenadora do IN-Visibilidade que começou por nos referir “este projeto surge na sequência daquilo que é o trabalho do Núcleo de Planeamento e Intervenção para os sem Abrigo de Évora e na necessidade sentida de fazer uma intervenção mais direta junto das pessoas.”

Este projeto consiste em cinco ações, centradas nas equipas de intervenção de rua e decapacitação e também a vertente de pintura dos Murais , num desafio lançado à Escola Secundária Gabriel Pereira: A responsável explica que estas pinturas surgem “por se entender que a Arte é um forte veículo de expressão cultural e artística.

A par da pintura dos Murais estão a decorrer sessões de sensibilização sobre a temática, junto de diversas turmas dos vários ciclos de ensino.

Questionada pela Rádio Campanário sobre a situação atual de pessoas sem abrigo em Évora, Carla Malaca refere “este projeto está em execução desde janeiro de 2022 e termina a 31 de dezembro de 2023 e até ao momento já passaram por nós , na zona de intervenção do projeto que é o concelho de Évora, 144 pessoas em situação de sem abrigo.”

Segundo a responsável pelo projeto “atualmente estão ativos cerca de 60 casos, ou seja, de todas as que passaram por nós nessa condição, algumas saíram da mesma, outras saíram do concelho.”

Dos casos sinalizados atualmente, Carla Malaca explica “que há pessoas sem casa, a viverem em carros, tendas , na via pública ou em casas que estão a ocupar.”

A sinalização é feita por diferentes entidades mas “há depois um trabalho que é desenvolvido em rede, com especial foco em garantir o que são as necessidades básicas”. Apesar da resposta, Carla Malaca refere “muitas vezes não é possível dar uma resposta maior, nomeadamente ao nível de casa, porque em Évora não existe a resposta de alojamento de emergência.”

Carla Malaca explica ainda que o Núcleo “tem a percepção do aumento do número de pessoas em situação de sem abrigo no concelho de Évora, nomeadamente ao nível daquilo que é a população migrante; chegam até nós num forte contexto de vulnerabilidade social.”

A Coordenadora do projeto IN-Visibilidade desta ainda o trabalho “de grande proximidade” que é desenvolvido junto destas pessoas, trabalhando especialmente a relação de confiança que muitas vezes é fundamental para resolução dos problemas existentes.

A equipa deste Núcleo, em conjunto com a pessoa que se encontra numa situação vulnerável, desenham “um projeto de vida , tentando ir ao encontro das necessidades existentes e tentando dar resposta.”

A pintura de murais em estabelecimentos de ensino faz parte de uma estratégia que pretende “aproveitar esta enorme oportunidade de sensibilizar os jovens para um problema que existe no nosso concelho, que é real, e desconstruir muitos dos preconceitos associados à situação de sem abrigo.”

Populares