22 C
Vila Viçosa
Segunda-feira, Abril 22, 2024

Ouvir Rádio

Data:

Partilhar

Recomendamos

Caixas ninho prontas para receber os francelhos de Mértola!

A viagem de África foi longa e este ano os francelhos de Mértola vão ter uma surpresa.

A informação é avançada pelo ICNF na sua página oficial dando conta que há Caixas ninho prontas a estrear. O ICNF, em colaboração com a Câmara Municipal de Mértola, substituiu as caixas ninho existentes para o francelho.

Em Portugal, Mértola alberga a última colónia de francelho (Falco naumanni), existente em espaço urbano. Esta espécie é conhecida pelos habitantes como os “falcões das muralhas”.

No centro histórico de Mértola, ou “Vila Velha”, as paredes dos edifícios e muralhas, construídas em taipa ou em pedra, facilitavam a existência de cavidades que proporcionavam locais de nidificação para esta espécie. A modernização das técnicas de construção deu origem à substituição destes materiais por outros mais resistentes, à uniformização das superfícies e consequente ao encerramento dessas cavidades.

Para que os francelhos pudessem continuar a dispor de locais de nidificação, houve que encontrar soluções para substituir artificialmente essas cavidades. A instalação de caixas-ninho com características específicas para esta espécie foi uma das soluções adotadas. As caixas são instaladas em locais com atributos semelhantes aqueles que seriam naturalmente selecionados pela espécie, tais como beirais e telhados.

Foi neste contexto que o ICNF, em colaboração com a Câmara Municipal de Mértola, substituiu 15 caixas ninho com mais de 15 anos, num dos edifícios icónicos dos serviços municipais. As caixas foram financiadas pelo POSEUR e Fundo Ambiental, no âmbito do Projeto de restauro e valorização de habitats mediterrânicos naturais e de espécies ameaçadas no Parque Natural do Vale do Guadiana.

O número de casais de francelho que nidifica em Mértola corresponde a 3 % da população da espécie em Portugal, sendo por isso, a sua conservação, considerada fundamental. Este pequeno falcão migrador partilha o espaço urbano com os habitantes da vila, prestando serviços de ecossistema no controlo das pragas agrícolas ou proporcionando benefícios indiretos através das receitas do turismo de birdwatching.

Para podermos usufruir destes serviços, só precisamos de lhes proporcionar tranquilidade e local para nidificar!

Fonte: ICNF

Populares