11.5 C
Vila Viçosa
Segunda-feira, Abril 22, 2024

Ouvir Rádio

Data:

Partilhar

Recomendamos

Campo Maior: “Este centro permite matar saudades das festas do Povo, únicas no mundo, em qualquer altura” diz Ana Paula Amendoeira(c/som)

 

Foi hoje inaugurado o Centro Interpretativo “Casa das Flores”, numa verdadeira homenagem às seculares Festas do Povo de Campo Miaor.

Ana Paula Amendoeira, Diretora regional de Cultura do Alentejo, marcou presença nesta inauguração e começou por, em declarações aos jornalistas, referir que “este é um momento muito feliz porque corresponde à formalização e entrega aqui em Campo Maior do certificado da inscrição das Festas do Povo na Unesco e também a abertura deste Centro Interpretativo da Casa das Flores.”

A Diretora Regional de Cultura do Alentejo enalteceu ainda “que a equipa da Câmara muito trabalhou para que estas festas fossem reconhecidas“ sublinhando tratar-se “de um reconhecimento de um património, importantíssimo para o País e também para o mundo”

Para Ana Paula Amendoeira “trata-se de um saber fazer associado à componente festiva e que têm a ver com o ritmo de vida das comunidades.”

As festas do Povo de Campo Maior têm características muito específicas que as tornam especiais como refere Ana Paula Amendoeira destacando “o facto de estas festas não terem periodicidade regular e serem apenas quando o povo quer torna-as absolutamente únicas no mundo e este centro interpretativo vem possibilitar que ao longo de todo o ano qualquer pessoa possa vir aqui matar saudades destas festas.”

Este centro explica a história, a origem e como é que estas festas são feitas e é um centro de muita qualidade.” refere ainda a Diretora regional.

Ana Abrunhosa, Ministra da Coesão territorial, presente nesta inauguração disse “para se saber traçar o futuro é preciso respeitar o passado” expressão com a qual a Diretora Regional de Cultura do Alentejo concorda em absoluto referindo “aqui em campo Maior pratica-se essa expressão e é bom que tenhamos estes exemplos” adiantando ainda “nós precisamos de conhecer de onde vimos e as nossas raízes porque vamos precisar delas para o futuro.”

Esperamos que o povo queira e que em 2023 haja novamente Festas do Povo”conclui.

 

Populares