23.7 C
Vila Viçosa
Quarta-feira, Maio 22, 2024

Ouvir Rádio

Data:

Partilhar

Recomendamos

Comendador Inácio Ludgero:”É preocupante ver, hoje, como a liberdade conquistada estão ameaçadas por extremismos”

Foi hoje inaugurada em Redondo a “Exposição do 25 de abril” no Centro Cultural, sob a égide de Inácio Ludgero, com a presença do Presidente da Câmara de Redondo, Dr. David Galego, e uma figura emblemática do Movimento das Forças Armadas, o Coronel de Abril, João Andrade da Silva, um dos capitães de abril de 74.

Durante o evento, a equipa da Rádio Campanário conversou com o estimado jornalista e fotojornalista Comendador Inácio Ludgero, responsável pela exposição que celebra os 50 anos do 25 de Abril, uma data que simboliza meio século de liberdade da democracia em Portugal. Inácio  Ludgero, partilhou as suas reflexões e memórias, afirmou: “Hoje trazemos à luz fotografias inéditas dos momentos que marcaram a liberdade de um país. Recorda as palavras do seu avô, de Ferreira do Alentejo, que lhe ensinou que a sabedoria vem com a idade. Estes 50 anos do 25 de Abril representam, para mim, um privilégio de ter vivido e documentado parte desta história.”

Ludgero, que também serviu como militar durante a Revolução dos Cravos, confessou sentir-se um pouco envergonhado por estar no epicentro de eventos tão cruciais, tendo tido, à época, a responsabilidade de garantir a segurança numa reunião fundamental em Monte do Sobral “Foi um ato de inconsciência minha, dada a magnitude da responsabilidade. Naquele momento, a confiança depositada em mim pelo Tenente Marcos Júnior, e a nossa amizade, foram decisivas. Mas, a verdade é que somos apenas uma parte desta história; os verdadeiros protagonistas são aqueles que lutaram pela nossa liberdade.”

Ao refletir sobre a importância de recordar a história do 25 de Abril, Inácio Ludgero sublinhou: “Não estamos aqui para glorificar, mas para lembrar aos vindouros a importância daquilo que aconteceu. É preocupante ver, hoje, como as liberdades conquistadas com tanto esforço estão ameaçadas por extremismos que tentam manipular a narrativa histórica.”

Sobre a reunião no Monte so Sobral em 1974, perguntando se todos os que lá estiveram sabiam ao que iam. Ludgero respondeu: “Eu não sabia de nada. Fui convocado apenas para garantir a segurança da reunião e não fazia a mínima ideia do que se passaria. Nem sabia ao certo quem eram os participantes, muitos chegaram de civil.”

Esta exposição, portanto, não só homenageia os 50 anos do 25 de Abril, mas também oferece um momento de reflexão sobre os desafios que a liberdade enfrenta atualmente, mantendo viva a memória de um dos eventos mais significativos da história contemporânea portuguesa.

Populares