13.3 C
Vila Viçosa
Sábado, Maio 25, 2024

Ouvir Rádio

Data:

Partilhar

Recomendamos

Comissões de Utentes do Litoral Alentejano em luta

As Comissões de Utentes do Litoral Alentejano, no próximo dia 9 de Fevereiro, às 11:30, vão participar numa acção de luta, denominada “Praça da Indignação”, no Jardim das Descobertas em Sines. Esta iniciativa é convocada pela União de Sindicatos de Sines, Santiago do Cacém, Grândola e Alcácer do Sal, e onde também vão participar demais Sindicatos.

 

Esta acção de luta insere-se no Dia Nacional de Indignação, Protesto e Luta, convocada pela Confederação Geral dos Trabalhadores Portugueses – Intersindical Nacional (C.G.T.P.-I.N.). Neste dia as Comissões de Utentes da Região irão usar da palavra, demonstrando ao Governo de que não se pode continuar a ignorar o agravamento das condições de vida. É URGENTE o AUMENTO dos Salários e das Pensões, para fazer face ao aumento do custo de vida e repor o poder de compra dos Utentes.

 

A iniciativa, também serve para demonstrar que todos unidos, Utentes, Trabalhadores, Sindicatos e Comissões, vão exigir o fim do aumento das rendas de casa, do aumento dos preços da energia, do aumento do preço das telecomunicações, do aumento do preço dos bens alimentares. os Utentes vão também lutar contra a destruição dos Serviços Públicos.

 

Os Utentes e as suas Comissões, consideram inadmissível o BRUTAL AUMENTO do preço dos seguintes bens alimentares:

 

– Carne (+ 21%);

 

– Laticínios (+ 20%):

 

– Congelados (+ 18%);

 

– Frutas e Legumes (+ 15%);

 

– Peixe (+ 15%);

 

– Mercearias (+ 14%).

 

Mas também o preço da energia teve um aumento de mais de 25%, enquanto os preços dos produtos AUMENTAM, as Grandes Empresas têm um aumento de lucros colossais, como por exemplo:

 

– Pingo Doce – 743 milhões de Euros de lucro;

 

– Sonae – 352 milhões de Euros de lucro;

 

– EDP – 306 milhões de Euros de lucro;

 

– Galp – 608 milhões de Euros de lucro;

 

Os Bancos obtiveram, por dia, mais de 7 milhões de Euros.

 

Perante tudo isto, os Utentes afirmam, defendem e vão exigir ao Governo, o controlo dos preços, fim da liberalização do preço dos combustíveis, redução do preço da electricidade e do gás de botija para um IVA de 6%. Bem como a contratação de Profissionais para os diversos Serviços Públicos, reparação ou a construção de edifícios degradados, AUMENTO GERAL dos Salários e Pensões, passagem para o Sector Empresarial do Estado das Empresas do Sector Estratégico.

Populares