34.3 C
Vila Viçosa
Quarta-feira, Maio 29, 2024

Ouvir Rádio

Data:

Partilhar

Recomendamos

Cooperativa com três novas estruturas para deficientes no distrito de Beja!

Uma cooperativa investiu 647 mil euros em três estruturas residenciais para duplicar a sua capacidade de acolhimento de pessoas com deficiência e ajudar a colmatar as necessidades no distrito de Beja, foi hoje divulgado.

Trata-se de um lar residencial e duas residências autónomas criadas pela CERCICOA – Cooperativa de Educação e Reabilitação de Crianças Inadaptadas e Solidariedade Social de Almodôvar, Castro Verde e Ourique, no distrito de Beja.

O lar, com 20 camas, já está a funcionar “esgotado” em Ourique e as duas residências, com capacidade para 10 pessoas – cinco cada -, deverão abrir em maio em Castro Verde, disse hoje à agência Lusa o presidente da direção da CERCICOA, António Matias.

“Estamos a falar de três novas respostas de âmbito distrital para ajudar a colmatar as necessidades de acolhimento de pessoas com deficiência no distrito de Beja”, frisou.

A CERCICOA duplicou de 30 para 60 camas a sua capacidade de acolhimento residencial de pessoas com deficiência com as novas respostas, que vêm juntar-se ao lar residencial, com 24 camas, e à residência autónoma, para seis pessoas, da cooperativa existentes em Almodôvar, frisou.

Segundo António Matias, o Lar D. Dinis na vila de Ourique, que já criou 10 postos de trabalho e deverá criar mais quatro, destina-se a pessoas com deficiência moderada ou profunda de ambos os sexos, com 16 ou mais anos e que estejam impedidas de residir no meio familiar temporária ou definitivamente.

A criação do lar, a partir da adaptação de um edifício da cooperativa na vila, resultou de uma parceria entre a Câmara de Ourique e a CERCICOA e implicou um investimento de 196.735 euros, financiado em 85% por fundos comunitários e em 15% por verbas do município.

O lar ficou pronto no início de 2020, mas só começou a funcionar este mês, devido à covid-19, sobretudo porque “havia uma série de limitações e contingências para abrir uma estrutura desta natureza” em período de pandemia, disse.

Por outro lado, explicou, a infraestrutura, “logo que ficou pronta, começou a servir de equipamento de retaguarda para apoio à covid-19 no concelho de Ourique”, tendo acolhido idosos de lares afetados por surtos.

Segundo a Câmara de Ourique, o lar vai ser inaugurado na terça-feira, numa cerimónia que deverá ser presidida pela Ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho.

De acordo com António Matias, as duas residências autónomas na vila de Castro Verde destinam-se a pessoas com deficiência ligeira que vivem com um grau elevado de independência e apenas precisam de um apoio residual, mas que não têm alojamento garantido.

A criação das residências, em terrenos cedidos pela Câmara de Castro Verde, implicou um investimento de cerca de 450 mil euros, financiado 85% por fundos comunitários e em 15% por verbas da CERCICOA.

C/Lusa

Populares