22 C
Vila Viçosa
Segunda-feira, Abril 22, 2024

Ouvir Rádio

Data:

Partilhar

Recomendamos

“Desta vez os Professores uniram-se e não vão parar; Por um futuro melhor para os jovens ” diz Prof. Maria Pita- AEArraiolos(c/som e fotos)

Os Sindicatos dos Professores já tinham avisado que janeiro seria um mês de luta.

Depois de uma manifestação geral, realizada em Lisboa e que juntou milhares de Professores, um pouco por todo o país assiste-se a diversas manifestações e ações de protesto.

Esta manhã, no Agrupamento de Escolas de Arraiolos, os Professores pararam ao primeiro tempo da manhã em sinal de protesto. A Rádio campanário falou com Maria Paula Pita, docente deste estabelecimento de ensino que começou por nos referir “esta paralisação abrangeu professores de todos os níveis de ensino, desde o pré-escolar até ao 12º ano de escolaridade e contou com mais de 50 professores.”

Uma paralisação que decorreu apenas ao primeiro tempo da manhã e que foi apoiada pelos alunos tendo “juntando cerca de 700 alunos no apoio a esta greve” conforme nos indicou.

Maria Paula Pita considera que “de há 20 anos para cá tem havido uma desvalorização da profissão de Professor , perdemos tempo de serviço e queremos recuperá-lo, perdemos poder de compra, cada vez temos menos tempo com os alunos e mais burocracia, e tudo isto foi agravado ainda mais pela pandemia.”

A docente lamenta que o Ministro da Educação “tenha tentado virar a sociedade contra os Professores, algo que não nos agrada.”

Questionada pela Rádio Campanário sobre as expetativas das negociações que esta semana vão ter lugar entre os Sindicatos dos Professores e o governo, a professora refere “nós não temos grandes expetativas porque ao longo destes anos não tem havido negociação; o que tem havido é uma imposição por parte do Ministério da Educação.”

Maria Pita considera ainda que o problema dos Professores ao longo dos anos tem sido a falta de união mas desta vez, refere “desta vez os professores estão unidos para melhorar a escola pública”.

A docente de Arraiolos considera que ainda pode haver capacidade negocial “desde que o Ministro da educação queira e ouça os nossos protestos”.

O objetivo dos Professores é garantir um futuro melhor para os nossos jovens” concluiu.

Para já neste Agrupamento de Escolas de Arraiolos não estão agendadas novas ações de luta. Ainda assim, dia 25 realiza-se uma greve a nível distrital e aí a participação dependerá do entendimento de cada Professor.

Populares