7.6 C
Vila Viçosa
Quinta-feira, Maio 23, 2024

Ouvir Rádio

Data:

Partilhar

Recomendamos

“Esta Agenda Digital faz com que caminhemos todos de braço dado para o futuro tecnológico do Alentejo” afirmou o Sec. de Estado da Internacionalização (c/som)

Decorreu hoje, dia 6 de março, a apresentação da Agenda Digital do Alentejo, no Auditório da CCDR Alentejo em Évora, da qual fez parte da apresentação, o Secretário de Estado da Internacionalização, Bernardo Ivo Cruz.

A rádio Campanário esteve presente e falou com o Secretário de Estado sobre a mais valia desta Agenda Digital, ao qual, Bernardo Ivo Cruz começou por nos dizer que “o Alentejo tem muitas virtudes, tem imensos aspetos atrativos para a economia do saber e economia da inteligência, mas nós temos que ter as condições para que essa economia escolha instalar-se no Alentejo. Uma das condições necessárias é a capacidade de termos uma grande rede digital, de termos pessoas formadas no digital, de termos a oferta que a nova economia procura e que junte o digital, o ambiental e as pessoas.

Com esta agenda que é uma ideia da CCDR, conseguimos fazer este casamento feliz, o casamento entre as condições técnicas e estruturais necessárias para que industrias, empresas e pessoas se instalem no Alentejo e criem aqui empregos, tragam as suas famílias e que ajudem a repovoar um pouco o Alentejo, mas ao mesmo tempo uma industria que seja moderna, que seja circular, que não polua e que aliás ajude a despoluir e que envolva todas as pessoas, desde crianças até às pessoas que acham que o digital já não é para elas mas estão enganadas”, acrescentou.

Quando questionado se existe algum trabalho a ser feito pelos agentes que têm uma relação de maior proximidade com as populações, no sentido de consciencializar para a importância do digital e da questão ambiental, o Secretário de Estado afirmou ser “muito importante, porque ninguém pode ser deixado de fora e correr o risco de avançar no digital sem que as pessoas tenham acesso ao mesmo”.

A tecnologia é para toda a gente, nós temos que simplificar, desfazer os mitos e transformar as ofertas tecnológicas em instrumentos dos quais toda a gente possa beneficiar” finalizou o Secretário de Estado da Internacionalização.

Populares