15.9 C
Vila Viçosa
Quinta-feira, Maio 30, 2024

Ouvir Rádio

Data:

Partilhar

Recomendamos

“Este tipo de investimentos são fundamentais e vão ajudar no crescimento do setor do turismo em Évora”, diz Carlos Pinto de Sá (c/som)

Decorreu esta tarde, pelas 18:00h, a inauguração do novo Hilton Garden Inn Hotel, em Évora, localizado junto ao Rossio de São Brás.

Trata-se do primeiro hotel da Mercan Properties na cidade património mundial da UNESCO, que nasce fruto de um projeto de reabilitação urbana num investimento de 21 milhões de euros a operar sobre a conceituada marca internacional de hotelaria, Hilton Hotels.

Na inauguração estiveram presentes o Presidente do Grupo Mercan, Jerry Morgan, o Vice-Presidente da Mercan Properties, Jordi Vilanova e o Presidente da Câmara Municipal de Évora, Carlos Pinto de Sá.

A Rádio Campanário esteve presente e falou com Carlos Pinto de Sá, presidente do Município de Évora, a respeito da inauguração do hotel e deste tipo de investimentos para o concelho.

O autarca começou por referir que este tipo de investimentos para o concelho de Évora “são fundamentais e este foi um investimento particularmente feliz, porque desde o primeiro contacto que tivemos com a Mercan e a Hilton, foi muito fácil chegar a um entendimento, as negociações foram rápidas, os projetos funcionaram lindamente e, portanto, gostava de salientar este aspeto. Depois porque nos surpreenderam, nós estávamos à espera de um e fomos surpreendidos com três investimentos, um deles já está mais adiantado, que será junto às Portas de Avis, também na área da hotelaria e outro aqui mais perto, aqui em Évora é conhecido como a Fábrica da Bolota, que também está a ser desenvolvido neste momento, são várias dezenas de milhões de euros, com a criação de dezenas de postos de trabalho, e é naturalmente importante, ainda por cima num setor que é prioritário para Évora, que é o turismo, vamos crescer do ponto de vista turístico até 2027, queremos criar raízes para o pós 2027 e, naturalmente a cadei Hilton, pelo seu prestígio, pelo tipo de cliente que traz a Évora, atinge um novo tipo de turista, de visitante, de facto é um excelente projeto para Évora e estamos aqui reconhecidos à Mercan e à Hilton por terem apostado em Évora.

Quanto à criação de postos de trabalho com estes investimentos, Carlos Pinto de Sá referiu que “só tenho conhecimento relativamente a este investimento, já fui informado de que estão a trabalhar aqui 42 pessoas, e deverão chegar às 62 pessoas neste empreendimento. Naturalmente que os outros terão situações diferentes, até porque como foi dito, há numa delas um misto de investimento em várias áreas, portanto, vamos avaliar depois, mas o que é importante é que já estão criados estes postos de trabalho e vão continuar a ser criados postos de trabalho em Évora”.

“Nós vemos a Capital Europeia da Cultura, naturalmente pela sua valia própria, pela dimensão que dá a Évora, pelo prestígio que dá a Évora na Europa e no mundo, estive no Quebeque no ano passado, na organização das Cidades Património Mundial e houve um reconhecimento por parte dessa organização, da importância de Évora de tal forma que fomos eleitos para o Conselho de Administração, que é presidido pelo presidente da Câmara do Quebeque e, naturalmente que é um evento de prestígio, mas a nossa intenção é promover um evento que é uma oportunidade de transformação para Évora e para o Alentejo, não queremos apenas eventos pontuais, queremos criar raízes para o desenvolvimento de Évora e é isso que estamos a conseguir fazer, o hotel vem para ficar, vai para lá de 2027, naturalmente temos tudo a ganhar com a oferta turística de 2027, comprometo-nos quase a duplicar as camas em Évora até essa data e aquilo que queremos não é apenas duplicar porque sim, mas sim para que o negócio possa manter-se para além de 2027, com vantagens para todos e é nisso que estamos a trabalhar, um projeto que crie raízes para o futuro desenvolvimento de Évora”, acrescentou o presidente da Câmara de Évora.

“Estamos a trabalhar a trabalhar num projeto de acolhimento aos visitantes, temos que tratar bem o turismo porque queremos que os visitantes voltem. Estamos a trabalhar num projeto de acolhimento onde vamos incluir todos os que trabalham nesta área, para que até 2027 criemos condições, não apenas na oferta hoteleira, mas na gastronomia, no espaço público, em muitos espaços para poder oferecer uma cidade melhor, mais bonita e mais acolhedora a quem nos visite”, finalizou.

Populares