20.4 C
Vila Viçosa
Domingo, Maio 26, 2024

Ouvir Rádio

Data:

Partilhar

Recomendamos

“Évora é cultura e se for Capital Europeia da Cultura é um reconhecimento bonito!” diz Joaquim Jorge, habitante de Évora(c/som)

Évora, capital do distrito de Évora, é reconhecida em todo o mundo pelo seu valor patrimonial, histórico e cultural.

O seu centro histórico bem-preservado é um dos mais ricos em monumentos de Portugal, o que lhe vale o epíteto de Cidade-Museu. Em 1986, o centro histórico da cidade foi declarado Património Mundial pela UNESCO.

Esta imponente cidade alentejana é agora, em 2022, uma das finalistas a Capital Europeia da Cultura em 2027.

Esta é uma candidatura de Évora, e do Alentejo, que recria o conceito de vagar, numa clara aposta de voltar a ganhar tempo para viver, para conviver, para pensar e refletir. E ligar a necessidade de ‘vagar’ para, a partir do Alentejo, num verdadeiro processo de transformação urbana e social a partir da Cultura, mas com pontes com outras áreas e setores.

A Rádio Campanário esteve num dos locais icónicos da cidade, a Praça do Giraldo e falou com Joaquim Jorge habitante da cidade, que acompanha o que é o dia a dia da cidade que é o seu berço, para perceber o que poderá esta candidatura trazer de novo a Évora.

Joaquim Jorge, tem 73 anos e reside em Évora. Questionado sobre como recebeu a notícia de que Évora é finalista nesta candidatura, responde de imediato “recebi muito bem a notícia, fiquei muito contente porque Évora é uma cidade com muita cultura.” Quantos às expetativas do que poderá este título trazer a Évora, caso seja a escolhida, Joaquim  Jorge adianta “acho que não deve melhorar muita coisa mas é bom para a cidade porque é um reconhecimento bonito.”

Apressa-se com orgulho a dizer “Évora tem poetas, tem cantores, tem pessoas de boa cultura” contando-nos ainda que ele próprio, sem muitos estudos, gosta de escrever poesia.

Sempre com o Alentejo como mote surpreende-nos com a declamação de um poema da sua autoria onde facilmente se percebe a sua paixão pelo Alentejo e, consequentemente, pela cidade onde vive e que é o seu berço. Sentimento de orgulho agora reforçado com a possibilidade de ver a sua cidade “ganhar” mais um prestigioso título.

Populares