2.6 C
Vila Viçosa
Quinta-feira, Fevereiro 29, 2024

Ouvir Rádio

Data:

Partilhar

Recomendamos

Grato pela “onda de amor e apoio ”, António Maio diz-se “orgulhoso por ter representado o país e o meu Alentejo” (c/som)

António Maio, piloto Alentejano natural de Rio de Moinhos(Borba) completou com sucesso a 46º edição do Rali Dakar.

Apesar de ter definido como objetivo terminar a prova em 15º lugar , o que não conseguiu, o Piloto da Yamaha concluiu a sua quinta participação na prova rainha no TOP20, em 18º lugar.

Um balanço positivo” para Maio que em declarações à Rádio campanário fez o balanço da sua participação nesta prova. Para o Piloto este foi um dos Rallys mais exigentes de sempre, com mais quilometragem e percursos com mais areia e pedras, o que “tornou a prova mais complexa.”

Tendo em conta todas as condicionantes da corrida , terminar no 18º lugar foi um resultado muito positivo” adiantou o piloto e Major da GNR.

Começou a prova doente, pelo caminho algumas quedas e alguns problemas com gasolina, mas nada destes contratempos foram suficientes para desmotivar António Maio e a sua equipa numa prova onde houve de tudo.

Numa das etapas, chegou a ser o melhor Português(dos 22 em competição) na prova. Para António Maio alcançar esta vitória reforça “o orgulho enorme que tenho em representar o meu País, o Alentejo, os patrocinadores e dá-nos a certeza de que não estamos sozinhos, que há mais gente a vibrar connosco pela conquista, o que nos deixa muito motivados..”

O Piloto Alentejano, que divide a sua vida entre três paixões, a família, a sua profissão na GNR e o ser piloto, manifesta-se sempre muito grato pela onda de apoio que recebe, sempre que participa numa competição. Dos Pilotos mais acarinhados em Portugal, Maio destaca “é muito importante sentir este apoio, para mim é sempre uma fonte de energia extra para o dia seguinte.”

O carinho, o reconhecimento e a onda de amor que recebo das pessoas é essencial para mim, sobretudo numa prova destas em que estamos sujeitos a muita pressão e perigo” sublinhou mostrando-se muito grato por isso.

António Maio nunca escondeu que, apesar de participar em inúmeros campeonatos, o Dakar é a sua prova de eleição e participar nele é algo que o deixa realizado. Mas numa prova desta complexidade, longa e com grandes dificuldades nem sempre é possível sorrir. A exposição ao risco é grande e todos os pilotos que participam na prova têm essa consciência.

Mas como reagem os pilotos quando há um acidente e morre um dos pilotos participantes, como aconteceu nesta edição de 2024, quando o Piloto Espanhol Carlos Fálcon acabou por perder a vida na sequência de uma queda na prova? António Maio, a este propósito refere “é difícil explicar como nos sentimos, é a prior notícia que podemos ter e penso sempre na minha família e que podia ter sido eu.”

O semblante e a tristeza tomam conta dos participantes porque “sentimos muito as dores uns dos outros e no dia seguinte, não é fácil voltar a pegar na moto no dia seguinte e continuar a prova.”

Depois da participação no Rally Dakar 2024, António Maio prepara-se já para uma segunda prova no campeonato do Mundo em fevereiro-março, e em Abril , a terceira prova deste mesmo campeonato que vai decorrer em Portugal, com partida de Grândola e onde vão participar os principais participantes do Dakar.

A “jogar” em casa, está convicto que terá oportunidade para fazer um resultado melhor O piloto está ainda a equacionar a participação no campeonato Nacional de todo o terreno .

Em outubro conta participar no rally de Marrocos .

Ainda a decidir as competições em que irá participar neste ano de 2024, António Maio tem uma certeza: a participação no Rally Dakar é para continuar, sempre com o objetivo de conseguir alcançar um resultado melhor face ao anterior e representar orgulhosamente “o meu País e a minha região.”

Populares