8.4 C
Vila Viçosa
Quarta-feira, Fevereiro 21, 2024

Ouvir Rádio

Data:

Partilhar

Recomendamos

“Há muito que os Agricultores andavam a engolir sapos, foram tantos que se transformaram em elefantes” diz José Gonçalves(c/som)

“Há muito que os Agricultores andavam a engolir sapos, foram tantos que se transformaram em elefantes” diz José Gonçalves(c/som)

José Eduardo Gonçalves e foi um dos muitos agricultores que esteve esta quinta-feira em protesto na Fronteira do Caia.

Juntamente com outros Agricultores lamenta a falta de apoio ao setor considerando que o mesmo não é valorizado e que a Agricultura, tal como está, tem os dias contados.

Em entrevista à Rádio Campanário, o Agricultor, proprietário de uma Herdade na freguesia de Ciladas(S.Romão), no concelho de Vila Viçosa, começa por nos referir “Os agricultores foram muito maltratados nestes oito anos de governo socialista e é por isso que estamos aqui”.

Enaltece o anterior Ministro da Agricultura, Luís Capoulas Santos dizendo que “foi o único que nos compreendeu” mas tece duras críticas à atual Ministra, Maria do Céu Antunes.

Considera que este governo , no que diz respeito à Agricultura foi “arrogante, vaidoso, mentiroso, incompetente , que culminou com o não pagamento dos apoios que todos estávamos à espera no dia 25 de janeiro.”

Lamenta os cortes comunicados de 35% na agricultura biológica e 25% na produção integrada especificando que “estamos a falar de cortes de 80 milhões de euros.”

Com este protesto, José Gonçalves espera “que o governo cumpra o que disse esta quarta-feira.” Sobre as declarações da Ministra da Agricultura relativamente “à comunicação infeliz por parte do IFAP”, o Agricultor frisa “não sei que é essa senhora, há muito tempo que não temos Ministério da Agricultura em Portugal.

“Temos sido enganados durante tanto tempo que já não acreditamos em ninguém” acrescentou ainda o Agricultor.

No que diz respeito aos cortes anunciados, considera que os mesmos “vão trazer grandes constrangimentos ao setor uma vez que temos muitos jovens agricultores, levados para uma agricultura defensora do ambiente , que se vêm agora confrontados com estes cortes.”

“Os Agricultores estão muito indignados e estes cortes foram a gota de água” salientou ainda sublinhando “não devíamos estar aqui, devíamos estar a produzir 24 horas por dia para podermos alimentar a maior parte deste País mas fomos forçados a fazer isso.”

Quanto à forte mobilização de Agricultores neste protesto diz “não me surpreende, há muito que os Agricultores andavam a engolir sapos e engoliram tantos que se transformaram em elefantes.”

Espera, quer da parte do IFAP, quer do que resta do Governo, que nos digam “quando e a que horas nos vai pagar, quando nós soubermos da voz do Sr. Primeiro Ministro ou do IFAP, nós retiramos” concluiu.

O protesto de Agricultores que hoje se realizou mobilizou milhares de Agricultores e tratores, de norte a sul, encerrando Fronteiras e cortando estradas, em nome da valorização do setor da Agricultura.

Populares