23.2 C
Vila Viçosa
Domingo, Abril 14, 2024

Ouvir Rádio

Data:

Partilhar

Recomendamos

Januário Coradinho sucede a Carlos Machado no comando dos Bombeiros de Estremoz: “a prioridade vai ser recrutar pessoas”diz Comandante em regime de substituição(c/som)

Januário Coradinho é o novo Comandante , em regime de Substituição, da Corporação dos Bombeiros Voluntários de Estremoz. Na casa há mais de 30 anos, Januário Coradinho desempenhou nos últimos anos os cargos de 2º comandante e de adjunto de comando, num percurso feito a par e passo com Carlos Machado que agora deixou as suas funções de Comandante. É também o responsável da Proteção Civil Municipal de Estremoz

Por força da saída de Carlos Machado, Januário Coradinho foi convidado pela Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Estremoz para ser o novo Comandante, cargo que aceitou e que aguarda agora a homologação por parte da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil. Até lá assume o Comando da Corporaão, embora com a designação de Comandante em regime de substituição.

A Rádio Campanário falou com Januário Coradinho sobre o que se propõe fazer na corporação e quais as suas prioridades, depois que assuma as funções efetivas de Comandante. Começou por nos referir “estas novas funções representam uma continuidade do trabalho que já vinha sendo realizado e a ideia será manter a mesma equipa” acrescentando “os nossos objetivos passam essencialmente por garantir o bem estar do nosso pessoal e à efetivação do nosso serviço.”

Questionado sobre as prioridades , Januário Coradinho revela, “as prioridades vão ser na maior dificuldade que hoje temos Capital humano” explicando que “cada vez é mais difícil recrutar Bombeiros, pois não basta recrutá-los, temos que os fazer Bombeiros e a escola de formação é uma dificuldade muito grande pois envolve demasiado tempo até estas pessoas serem efetivamente bombeiras.”

Assim, tal nos como sublinha “a prioridade tem que ser na captação de pessoas que queiram vir a ingressar nos Bombeiros , com especial atenção para as pessoas e para a sua formação porque o equipamento, melhor ou menos bom, virá assim como as capacidades técnicas; as pessoas é o mais difícil e é nisso que temos de apostar.”

No que diz respeito à implementação de mecanismos que possam estimular esta captação de recursos humanos, Januário Coradinho frisou “o Corpo de Bombeiros tem poucas possibilidades de grandes mecanismos mas já foram propostas algumas ideias nesse sentido, que estão a ser avaliadas por parte da direção para podermos dar pequenos incentivos ao pessoal.” O Comandante evidenciou ainda que ” o próprio Município de Estremoz criou um regulamento próprio de alguns incentivos para os Bombeiros Voluntários e alguns já estão a beneficiar deles.”

Para combater esta dificuldade, as entidades do concelho estão a trabalhar em rede o que para Januário Coradinho “é a única solução pois isoladamente não somos nada” estando convicto de que “esta Instituição em conjunto com todos os outros Agentes de Proteção Civil do concelho e da Sub – Região conseguiremos fazer algo para modificar esta situação.”

A Corporação dos Bombeiros de Estremoz é atualmente composto por cerca de 53 elementos, entre quadro e voluntários o que, como refere o Comandante em Regime de Substituição, “é manifestamente muito pouco para o número de exigências e solicitações que temos.”

Populares