19.3 C
Vila Viçosa
Sexta-feira, Abril 12, 2024

Ouvir Rádio

Data:

Partilhar

Recomendamos

Julgamento de Francisco Borda D’Água: Esta sexta-feira serão ouvidas testemunhas de defesa do arguido

Depois de no passado dia 17 de Março se ter dado início ao julgamento do homem acusado de ter assassinado uma advogada de Estremoz, em maio do ano passado, este irá continuar esta sexta-feira (24 de Abril), indicou fontes judiciais.

Segundo as mesmas fontes esta sexta-feira serão ouvidas as testemunhas de defesa do arguido, este que está acusado pelo Ministério Público (MP) de um crime de homicídio qualificado, incorrendo na pena máxima de 25 anos de prisão.

O arguido, que terá assassinado a advogada Natália de Sousa, de 50 anos, ao embater várias vezes com a sua cabeça no chão, aguarda julgamento em prisão preventiva no Hospital Prisional de S. João de Deus (Caxias).

Recorde-se que o caso ocorreu, a 6 de maio de 2014, cerca das 15h50, no escritório da advogada, situado no centro da cidade de Estremoz, no distrito de Évora, como a Rádio Campanário oportunamente noticiou.

No despacho de acusação, é referido que o alegado autor do crime iniciou uma discussão com Natália de Sousa por causa do pagamento da pensão de alimentos à sua cliente e ex-mulher do arguido, na sequência de um processo de divórcio.

Segundo o Ministério Público, o homem abandonou a vítima no escritório, prostrada no chão e esvaída em sangue, e, já na rua, foi agarrado por uma pessoa que não o deixou sair do local até à chegada de um carro patrulha da PSP.

Para o Ministério Público, Francisco Borda D'Água atuou com a intenção de matar a vítima, como aconteceu, e de surpresa para que a advogada não se pudesse defender.

Populares