3.2 C
Vila Viçosa
Domingo, Março 3, 2024

Ouvir Rádio

Data:

Partilhar

Recomendamos

“O Alentejo mudou com a última geração;A transição energética permite continuar a mudança”diz Ricardo Campos, Pres. Do Fórum Energia e Clima(c/som)

 

Évora recebe até amanhã, no auditório da CCDR Alentejo, a IV edição do Energy and Climate Summit, dedicada ao tema da Mobilidade e do Transporte Ferroviário.

Organizado pelo Projeto GUARDIÕES – uma parceria entre o Instituto Politécnico de Portalegre (IPP), o Fórum da Energia e Clima (FEC) e a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Alentejo (CCDRA) , este é um evento que junta autarcas e especialistas para debater temas como a Mobilidade, Transportes Ferroviários, entre outros

A Rádio Campanário esteve presente e falou com Ricardo Campos, Presidente do Fórum de Energia e Clima, que começou por nos explicar o porquê da escolha de Évora para a realização desta 4ª edição da Energy and Climate Summit.

Ricardo Campos adiantou-nos “Évora porque o Projeto Guardiões é um projeto do Alentejo e para todo o Alentejo e nós já fizemos as várias cimeiras nas várias localizações” acrescentando ainda “é importante discutirmos as temáticas que têm a ver com a Região.”

Ricardo Campos destaca ainda “hoje não poderíamos deixar de vir a Évora falar de um tema que presenta um quarto do problema da crise climática, ou seja, as emissões de gases no setor dos transportes onde é preciso avançar com a descarbonização.”

O responsável pelo Fórum considera ainda que , “a existência de um novo quadro comunitário e do PRR é uma grande oportunidade para o Alentejo e para Portugal pois são fundos que precisam de ser executados, há uma estratégia e desejamos que estes fundos sejam aproveitados num tempo que é um tempo de alteração do nosso paradigma energético , uma década decisiva para a resolução do maior problema que foi sendo empurrado para a frente pelas antigas gerações e que hoje, nos toca a nós mudar.”

Este é o tempo de mudança e fazê-lo a partir do Alentejo tem sempre um gosto especial por ser uma Região que mudou muito ao longo desta última geração e ter uma oportunidade, na transição energética , de continuar essa mudança ” concluiu.

 

 

Populares