24.8 C
Vila Viçosa
Segunda-feira, Junho 24, 2024

Ouvir Rádio

Data:

Partilhar

Recomendamos

PSD de Évora acusa PS distrital de ter atacado “de forma soez e direta” profissionais de saúde

O PSD Distrital de Évora veio a público, este domingo, dia 23 de agosto, “lamentar” e “repudiar” que “o Partido Socialista, procure retirar dividendos partidários” da tragédia vivida pela população de Reguengos de Monsaraz, provocada pela COVID-19, que resultou em 18 mortes, “apoucando descaradamente o sofrimento de toda uma comunidade, que se viu atingida por uma tragédia, que tolheu 18 dos seus mais fragilizados elementos”.

O PSD sublinhou que “temos assistido a uma permanente campanha mediática, em que absolutamente ninguém assume qualquer responsabilidade ou qualquer falha na gestão da crise no Lar de Reguengos”, frisando que “está aliás em curso uma campanha de condicionamento e intimidação de familiares e amigos das vítimas desta tragédia, bem como de funcionários da fundação responsável pelo Lar, com o objetivo de condicionar o apuramento da verdade”.

Os sociais-democratas de Évora acusaram a Federação Distrital de Évora do Partido Socialista de nos últimos dias ter atacado “de forma soez e direta profissionais de saúde e responsáveis das suas associações profissionais, que denodadamente se empenharam na defesa da saúde pública e na defesa intransigente das condições sanitárias dos seus concidadãos. Repudiamos veementemente essa mesquinha desumanidade, que devia envergonhar um partido que se diz humanista!”

O PSD distrital atirou ainda que “a Federação de Évora do Partido Socialista, habituada à gestão familiar e clientelar da Administração Pública Regional, aponta com estranheza que um Ministro independente de um governo PSD/CDS, tenha nomeado em 2011 um socialista para Presidente da Administração Regional de Saúde do Alentejo, face à saída dessa função da esposa do histórico socialista, Carlos Zorrinho” e que “o próprio Primeiro-Ministro, no Jornal Expresso deste sábado, desautorizou publicamente a Federação de Évora do Partido Socialista, e a constante desresponsabilização de todos os responsáveis regionais e locais na gestão desta crise!”.

 

Publicamos o comunicado da Comissão Política Distrital de Évora do PSD, na íntegra:

Respeitar os mortos. Apurar os factos!

A Comissão Política Distrital de Évora do PSD lamenta profundamente a tragédia vivida pela população de Reguengos de Monsaraz, que resultou em 18 mortos, apresentando às famílias enlutadas e à comunidade reguenguense, as suas mais profundas condolências.

A Comissão Política Distrital de Évora do PSD, lamenta e repudia que o Partido Socialista, procure retirar dividendos partidários dessa tragédia, apoucando descaradamente o sofrimento de toda uma comunidade, que se viu atingida por uma tragédia, que tolheu 18 dos seus mais fragilizados elementos.

Temos assistido a uma permanente campanha mediática, em que absolutamente ninguém assume qualquer responsabilidade ou qualquer falha na gestão da crise no Lar de Reguengos.

Está aliás em curso uma campanha de condicionamento e intimidação de familiares e amigos das vítimas desta tragédia, bem como de funcionários da fundação responsável pelo Lar, com o objetivo de condicionar o apuramento da verdade!

Urge por isso que as autoridades competentes ponham termos a esta situação, ouvindo sem demoras todos os depoimentos e apurando todos os factos!

Nos últimos dias, publicamente, a Federação Distrital de Évora do Partido Socialista, atacou de forma soez e direta profissionais de saúde e responsáveis das suas associações profissionais, que denodadamente se empenharam na defesa da saúde pública e na defesa intransigente das condições sanitárias dos seus concidadãos.

Repudiamos veementemente essa mesquinha desumanidade, que devia envergonhar um partido que se diz humanista!

A Federação de Évora do Partido Socialista, habituada à gestão familiar e clientelar da Administração Pública Regional, aponta com estranheza que um Ministro independente de um governo PSD/CDS, tenha nomeado em 2011 um socialista para Presidente da Administração Regional de Saúde do Alentejo, face à saída dessa função da esposa do histórico socialista, Carlos Zorrinho.

Desgraçadamente, a Federação de Évora do Partido Socialista fala verdade: a saúde no Alentejo é gerida familiarmente, pela família socialista, há bem mais de uma década!

Com a reconhecida incapacidade, que corajosamente os Alentejanos enfrentam diariamente!

Foram agora ultrapassados todos os limites!

O próprio Primeiro-Ministro, no Jornal Expresso deste sábado, desautorizou publicamente a Federação de Évora do Partido Socialista, e a constante desresponsabilização de todos os responsáveis regionais e locais na gestão desta crise!

A memória dos que partiram e o sofrimento dos que ficaram, impõem que as autoridades competentes, sem compadrios ou conluios partidários, apurem a verdade dos factos.

Toda a verdade dos factos

Populares