18.2 C
Vila Viçosa
Terça-feira, Junho 18, 2024

Ouvir Rádio

Data:

Partilhar

Recomendamos

Reguengos de Monsaraz integra projeto para implementação da economia circular no concelho

 

 

O Município de Reguengos de Monsaraz participou na terceira reunião de trabalho do projeto “RURBAN Link – Ligações Circulares entre Áreas Urbanas e Rurais”, que teve como tema a gestão de resíduos, a recolha e o adequado encaminhamento, para assegurar que os intervenientes adquirem os conhecimentos e os procedimentos corretos a executar na sua gestão. Nesta reunião que decorreu de 14 a 17 de setembro na Ribeira Grande, na ilha açoriana de São Miguel, foi ainda analisada a implementação da circularidade nas vertentes económica e ambiental, o desenvolvimento da ação comum do projeto e foram efetuadas visitas a unidades agrícolas e industriais para conhecimento das suas dinâmicas económicas e de gestão ambiental na área da circularidade.

 

No âmbito deste projeto, o salão nobre dos Paços do Concelho de Reguengos de Monsaraz recebeu no dia 12 de setembro a segunda reunião do Grupo de Planeamento e Ação Local de Reguengos de Monsaraz (GPALRM), onde foram debatidos os possíveis projetos a desenvolver através de processos de cocriação e corresponsabilização para a melhoria das condições de vida da população. O GPALRM é composto pela Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Alentejo, CIMAC – Comunidade Intermunicipal do Alentejo Central, EDIA – Empresa de Desenvolvimento e Infraestruturas do Alqueva, Universidade de Évora, Esporão, CARMIM, Instituto da Conservação da Natureza e Florestas/Direção Regional da Conservação da Natureza e Florestas do Alentejo, Agência Portuguesa do Ambiente/Administração da Região Hidrográfica do Alentejo, Pólo de Reguengos de Monsaraz da Universidade Aberta e Agrupamento de Escolas de Reguengos de Monsaraz.

 

O projeto “RURBAN Link – Ligações Circulares entre Áreas Urbanas e Rurais” é constituído por uma rede de cidades portuguesas dos municípios de Reguengos de Monsaraz, Fundão, Guimarães, Penela, Bragança, Lisboa, Ribeira Grande e Câmara de Lobos, para além de outras entidades ligadas ao desenvolvimento urbano. Este projeto é cofinanciado a 75 por cento pelo Fundo Ambiental através da Iniciativa Nacional Cidades Circulares e pretende desenvolver um sistema alimentar urbano/rural que otimize o fluxo de produtos desde a produção até ao processamento, distribuição e consumo, com a consequente redução de emissão de gases com efeito de estufa e de desperdício alimentar.

Populares