33.2 C
Vila Viçosa
Segunda-feira, Julho 22, 2024

Ouvir Rádio

Data:

Partilhar

Recomendamos

“Temos aqui a prova que somos um banco próximo da população, com todo o apoio que prestamos” diz Admin. do CA do Alentejo Central (c/som)

Decorreu esta tarde, pelas 18h, a inauguração da Praça de Touros de Pardais, na freguesia de Pardais, concelho de Vila Viçosa.

De entre as várias entidades presentes nesta inauguração, uma delas foi o Dr. Luís Madruga, administrador da Caixa de Crédito Agrícola do Alentejo Central.

A Rádio Campanário esteve presente e falou com Luís Madruga sobre o Crédito Agrícola do Alentejo Central fazer questão de estar presente neste tipo de iniciativas para apoiar as instituições e associações.

Em declarações à nossa redação, o administrador da Caixa de Crédito Agrícola do Alentejo Central começou por referir que “quando nós dizemos que estamos próximos e que somos um banco próximo, é isto que queremos dizer, é estar próximo das populações, de todas elas, das cidades maiores, dos concelhos maiores, dos mais pequenos, das populações mais pequenas, a apoiar, quer com infraestruturas que permitem à população, a ligação aos bancos, nomeadamente com o multibanco, quer através das freguesias e das suas associações, em poderem continuar a dinamizar e a incentivar jovens a ficar, a terem acesso à cultura, a todos os outros serviços e outras potencialidades que, muitas vezes, só existe nas grandes cidades. É isto que nos caracteriza, é isto que nos marca, é isto que nós sabemos fazer, e é isto que queremos continuar a fazer. Esperemos que a população reconheça e que se ligue cada vez mais a nós”

Questionado se ao estar presente neste tipo de iniciativas reafirma a proximidade para com as pessoas desta entidade bancária, Luís Madruga referiu que “quando deixarmos de o fazer, deixamos de ser o Crédito Agrícola. Estamos numa freguesia, que é a freguesia de Pardais, no concelho de Vila Viçosa, que curiosamente é onde vive o nosso responsável de agência, portanto, é isto que nos caracteriza, o colega José Roma, que está aqui também presente nesta inauguração, é isto que nos caracteriza e, as novas gerações, que estão à frente do Banco, têm que ter isto também na sua génese, se o deixarem de ter, deixam de perceber o que é o Crédito Agrícola e deixam de perceber o que é esta realidade tão boa e tão bonita de fazer pelo interior, fazer por aqueles que, por algum motivo, por toda esta tendência ‘litoralesca’, ficam de alguma forma isolados. Nós reafirmamos, estamos cá, estamos cá para ajudar, e colaborem também connosco”.

Questionado se é através desta proximidade que esta entidade bancária tem os resultados de crescimento exponencial, o administrador referiu que “não tenho dúvidas nenhumas disso. Acredito que a população, antes de pensar fazer qualquer investimento, antes de pensar fazer qualquer ligação a um banco, acredito que pensam primeiro em nós, e é isso que nos tem diferenciado, como estamos ‘à mão de semear’, acredito que as pessoas continuam a olhar para nós como o seu banco e não como um outro banco qualquer”

Populares