23.2 C
Vila Viçosa
Quarta-feira, Maio 22, 2024

Ouvir Rádio

Data:

Partilhar

Recomendamos

“Tenho uma pequena história gravada na minha cabeça”, diz artesão da Orada na apresentação do livro das suas memórias (c/som e fotos)

Foi apresentado, dia 14 de maio, o livro João Catarino – Artesanato/ Arte Pastoril, apresenta as memórias de João Catarino, artesão da Orada.

Promovido pela Câmara Municipal de Borba, e escrito por Jorge Cachapa, com o apoio de Maria João Brinquete.

A Rádio Campanário esteve presente na sessão de lançamento do livro, e falou com António Anselmo, Presidente da Câmara Municipal de Borba.

O autarca realça a importante de se preservar a “cultura, tradição, património e acima de tudo, memória viva”.

Considerando o livro o culminar de uma vida repleta para o artesão da Orada, António Anselmo considera a obra “um livro muito bonito, que acima de tudo representa aquilo de bom há no concelho de Borba, neste caso concreto na freguesia da Orada”.

Jorge Cachapa, num trabalho conjunto com Maria João Brinquete, escreveu este livro que “foi um desafio para mim”, descreve, “foi muito importante conhecer a vida de uma pessoa que é transversal a muitas outras vidas”.

Sendo um livro de memórias do concelho, escrita com base em relatos de João Catarino, foi escrito em “alentejanês”, fazendo jus à forma de falar do artesão.

“Foi um desafio e foi extremamente interessante”, declara.

“Tenho uma pequena historia gravada na minha cabeça, desde que comecei a ser alguém”, afirma João Catarino, em cujos relatos autobigráficos foi baseado o livro.

Afirma que “este livro é um quarto daquilo que eu passei, da minha história”, acreditando que com mais tempo e calma, haveria ainda muito para acrescentar.

Tendo quase 80 anos, João Catarino considera que o seu relato “ficou bem gravado, ficou bonito”, não pensando em gravar as histórias que ficaram por contar.

Joaquim Serra, vereador da Câmara Municipal de Borba, considera João Catarino um “amigo, companheiro, camarada […] sempre disponível para todos”.

Defendo que ser analfabeto nunca o impediu de trabalhar e de seguir em frente na vida.

“Como o João Catarino, outros João Catarino houve por esta terra e por este Alentejo fora”, declara o autarca, afirmando que o livro retrata a vida “de muitos alentejanos que passaram pelo mesmo”.

 

{gallery}orada_livro_catarino17{/gallery} 

Populares