Portalegre

Portalegre evoca os 50 anos da morte de José Régio

Publicado em Agenda Cultural 06 junho, 2019

Portalegre vai evocar os 50 anos da morte de José Régio, numa programação que pretende aumentar o reconhecimento da importância deste escritor, nomeadamente ao nível dos currículos escolares.

E conferência de imprensa decorrida na Biblioteca do Palácio Nacional da Ajuda, em Lisboa, a Câmara Municipal de Portalegre apresentou um conjunto de iniciativas que vão desde palestras, exposições, espetáculos e conferências a reedições de livros, programa que se vai prolongar até ao próximo ano.

Para assinalar esta efeméride, o Ministério da Cultura, as direções regionais de cultura do Norte, do Centro e do Alentejo, os municípios de Vila do Conde, Coimbra e Portalegre, o Centro de Estudos Regianos (Vila do Conde) e o Instituto Politécnico de Portalegre juntaram-se na elaboração de um vasto programa cultural.

Ao longo de quase dois anos (até dezembro de 2020), vão desenvolver-se diversas iniciativas de cariz nacional e local, sendo que em Portalegre, haverá um ciclo de cinema para visualização de filmes relacionados com a obra literária do autor transposta para o grande ecrã, com comentários por críticos e estudiosos de cinema, assim como um ciclo de curtas-metragens e de fotografias de coleções privadas.

Do cinema para o teatro, está prevista uma recriação dramática sobre personagens regianas no feminino, e uma peça de teatro de tributo a José Régio, intitulada “Do humano ao divino”. Em Portalegre, também ainda sem data definida, haverá recitais de música e poesia.

Um dos objetivos desta iniciativa é chamar a atenção da importância deste homem — também fundador da revista Presença – para a literatura e a cultura portuguesas do século XX, mas que tem sido “maltratado”.

“A ideia é repensar de algum modo o que devia ter sido feito há alguns anos, que é dar o devido respeito e o devido lugar a este nome e grande vulto da cultura portuguesa que é José Régio”, declarou Adelaide Teixeira na conferência.

De forma a criar uma identidade a este projeto de evocação de José Régio, foi desenvolvida uma imagem gráfica, com um dos versos mais conhecidos do poeta — “Não sei para onde vou, não sei por onde vou, sei que não vou por aí” -, e criado um site na Internet — www.joseregio.org -, onde vai ser divulgada toda a programação ao longo do projeto.

José Régio, nome literário de José Maria dos Reis Pereira, nasceu a 17 de setembro de 1901 em Vila do Conde, estudou em Coimbra e lecionou em Portalegre durante mais de 30 anos, tendo vindo a morrer na sua terra natal a 22 de dezembro de 1969.

José Régio foi poeta, dramaturgo, romancista, novelista, contista, ensaísta, cronista, crítico, autor de diário, memorialista, epistológrafo, historiador da literatura portuguesa, desenhador, pintor, e grande conhecedor e colecionador de arte sacra e popular.

Últimas notícias

Histórico de Notícias

« Agosto 2019 »
Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
      1 2 3 4
5 6 7 8 9 10 11
12 13 14 15 16 17 18
19 20 21 22 23 24 25
26 27 28 29 30 31