15 Nov. 2019
Augusta Serrano
Notícias
17:00-19:30

Campo Maior

Ministério Público acusa ex-autarcas de Campo Maior de prevaricação, corrupção passiva e branqueamento de capitais

Regional 17 Nov. 2017

O Ministério Público de Évora acusou esta semana os antigos presidentes da Câmara e da Assembleia Municipal de Campo Maior, no distrito de Portalegre, João Burrica (PS) e Rui Pingo (PS), dos crimes de prevaricação, corrupção passiva para ato ilícito de titular de cargo político e branqueamento de capitais.

Foram, igualmente, acusados pela prática dos crimes de corrupção ativa e branqueamento de capitais dois altos responsáveis de sociedades privadas bem como estas pelo crime de branqueamento de capitais.

De acordo com a acusação do Ministério Público, “tais crimes decorrem de factos praticados nos anos de 2007 a 2009 no âmbito do exercício das assinaladas funções públicas, envolvendo outros intervenientes e no âmbito da construção do Complexo de Piscinas local, em regime de Parceria Público Privada Institucional.”

“Ficou indiciado que a implementação daquele modelo de parceria favoreceu um concreto grupo económico de expressão nacional e acarretou elevados encargos para o município de Campo Maior.”, acrescenta ainda o Ministério Público.

A investigação foi dirigida pela 2.ª Secção deste DIAP Distrital de Évora, tendo o Ministério Público sido coadjuvado pela Polícia Judiciária (UNCC) e com assessoria técnica do NAT da PGR.

Recordamos que a construção, em 2008, das piscinas resultou de um investimento de quatro milhões de euros, foi suportada pela câmara e pela empresa municipal "Campo Maior XXI", de acordo com a informação divulgada pelo município na altura.

Últimas notícias

Histórico de Notícias

« Novembro 2019 »
Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
        1 2 3
4 5 6 7 8 9 10
11 12 13 14 15 16 17
18 19 20 21 22 23 24
25 26 27 28 29 30