×

Alerta

JUser: :_load: Não foi possível carregar o utilizador com o ID: 64

Alentejo

“O Governo Português previu muito bem a situação, mas depois no terreno não aconteceu nada", diz Inácio Esperança (C/SOM)

Regional 05 Jul. 2020

Inácio Esperança, presidente da Federação Distrital de Évora dos Bombeiros, explicou à Rádio Campanário que em abril de 2020, foi assinada uma portaria (94-C 2020), pelo Governo Português, que previa que se pudessem assinar protocolos entre as instituições sociais para a mitigação da COVID-19.

Segundo o dirigente, essa portaria “permitia adequar os quadros técnicos, os quadros de pessoal, fazer testes, ajudar as associações humanitárias, neste caso bombeiros que fazem o transporte de praticamente 98% dos infetados, e até no auxílio aos lares”.

Contudo, até hoje “desconheço no país inteiro qualquer protocolo feito com base nesta portaria”, contou Inácio Esperança, que não tem dúvidas que “se ao abrigo dessa portaria tivessem sido feitos protocolos, se calhar podiam-se ter evitado alguns surtos. Não estou a falar em concreto do caso de Reguengos ou outro caso em particular, mas sim no geral”.

Para o dirigente distrital dos Bombeiros "o Governo Português previu muito bem a situação, mas depois no terreno não aconteceu nada".

Inácio Esperança apelou “a quem tem poder para fazer esses protocolos” para que os façam “rapidamente”, porque “não estamos livres de que o que se passa em Reguengos de Monsaraz não possa acontecer noutro lugar do Alentejo ou do país”.

Últimas notícias

Histórico de Notícias

« Novembro 2020 »
Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
            1
2 3 4 5 6 7 8
9 10 11 12 13 14 15
16 17 18 19 20 21 22
23 24 25 26 27 28 29
30