13 Abr. 2021
Nuno Rocha
Á mesa com a RC
13:00-14:00
×

Alerta

JUser: :_load: Não foi possível carregar o utilizador com o ID: 64
JUser: :_load: Não foi possível carregar o utilizador com o ID: 63
JUser: :_load: Não foi possível carregar o utilizador com o ID: 68

baixo alentejo

"Uma Estufa para o Monte Mimo": Projeto de agricultura regenerativa do Alentejo lança campanha de crowdfunding (C/VÍDEO)

"Uma Estufa para o Monte Mimo": Projeto de agricultura regenerativa do Alentejo lança campanha de crowdfunding (C/VÍDEO) Foto retirada do vídeo da campanha
Regional 12 Out. 2020

Rita Magalhães e Sérgio Correia instalaram-se em 2009 no Baixo Alentejo e criaram o “Monte Mimo”, um projeto de agricultura regenerativa, num contexto familiar, como uma ilha de biodiversidade no meio da agroindústria e que agora criaram uma angariação de fundos para poderem comprar uma estufa.

Num vídeo de promoção da campanha. Sérgio Costa conta que instalaram-se na região, procurando a “soberania alimentar, ao mesmo tempo que regeneramos uma paisagem degradada”.

São produtores de hortícolas da AMAP Sado desde 2019. A AMAP Sado é uma comunidade de consumidores que apoia a agricultura na região. Atualmente são 19 coprodutores (pessoas que partilham connosco o risco de abundância e escassez da produção de hortícolas) e “percebemos o ano passado as dificuldades de uma produção durante o Inverno, devido essencialmente ao frio que se faz sentir nesta região”, lê-se no site do projeto.

“Ou seja, no Verão de facto há abundância e no Inverno há escassez. Felizmente desde maio 2020 duplicou o número de coprodutores, o que aporta um sustento financeiro importante para manter viável todo a nossa vida aqui onde lembro que o foco principal é a regeneração da paisagem”. Por isso, “a estufa é a prioridade pois permitirá um fluxo de produção maior, com um continuar de produção durante o Inverno que servirá os coprodutores, que por sua vez com o seu contributo financeiro nutrem esta paisagem, este modo de agricultura regenerativa”.

Rita Magalhães e Sérgio Correia criaram uma campanha de crowdfunding para que as pessoas podem ajudá-los para comprar essa estufa, que tem um valor total de 5.000 euros.  Caso esse valor seja ultrapassado será investido em, por prioridades:

  • Composto 25 m3 a adquirir e incorporar este Outono, valor total 1200 euros.
  • Pós de rocha, adquiridos e incorporados este Outono, valor total 1500 euros.
  • Semeador Jang Seeder, valor total 600 euros.
  • Wheel hoe TerraTech, valor aproximado 500 euros, depende dos acessórios.

Pode ler-se ainda no site do projeto que “estamos a desenvolver-nos na prática agroecológica: da vermicompostagem, da compostagem, dos biofertilizantes e bio estimulantes, de trabalhar a terra com um mínimo de mobilização de solo. Fizemos análises ao solo e iremos aplicar uma série de pós de rocha que irão beneficiar a estrutura do solo e a vida existente. Temos animais que integram este sistema pela sua presença, com o estrume enriquecemos o solo, e com o Mimo (muar) trabalhamos a terra com alfaias de tração animal. Recebemos pessoas voluntárias que nos ajudam com os trabalhos na horta e na agrofloresta, além do apoio que recebemos dos coprodutores que nos visitam ocasionalmente”.

Para ajudar este projeto a comprar a estufa, pode fazer o seu donativo aqui. “Precisamos de todos vós para dar continuidade a este projeto de agricultura regenerativa”, apela o casal, em cante alentejano. Pode saber mais sobre este projeto aqui.

Últimas notícias

Histórico de Notícias

« Abril 2021 »
Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
      1 2 3 4
5 6 7 8 9 10 11
12 13 14 15 16 17 18
19 20 21 22 23 24 25
26 27 28 29 30