Imprimir esta página

Alentejo

Vinhos alentejanos “perseguidos” pela sua qualidade, afirma presidente da CVRA (c/som)

Regional 28 Set. 2017

A exportação de vinhos alentejanos subiu, nos primeiros seis meses de 2017 e em comparação com o mesmo período do ano anterior, 28% em valor e 17% em quantidade segundo dados da Comissão Vitivinícola Regional Alentejana (CVRA).

De acordo com Francisco Mateus, presidente da CVRA, os vinhos alentejanos, nomeadamente o vinho DOC Alentejo e Regional Alentejano “estão a ser perseguidos do ponto de vista qualitativo” por parte dos consumidores e importadores a nível internacional.

Esta procura leva a que “o preço médio por garrafa de cada vinho do Alentejo esteja a subir na exportação”, já sobre o crescimento em quantidade, salienta que “estamos a comparar com o primeiro semestre do ano passado”, que foi um período em que “ a exportação não estava tão elevada”, e no final deste ano é esperado “um ano de exportação muito bom”.

O consumidor está “mais disposto a pagar um preço mais elevado” por um produto de qualidade, indicou Francisco Mateus, acrescentando que a ilação retirada destes resultados é de que “tem sido feito um bom trabalho entre os produtores e a Comissão, no sentido de transmitir aos consumidores qual é a qualidade dos nossos produtos”.

De acordo com o presidente da CVRA, “há mercados onde o vinho alentejano tem um nível de consolidação mais elevado”, tal como Brasil e Angola, no entanto, existem mercados onde se estão a focar recentemente, como é exemplo o mercado Norte-Americano.

Quanto ao mercado Norte-americano, “estamos a ter um bom nível de crescimento”, embora, devido à sua dimensão, os crescimentos “são mais lentos”, sublinhou o presidente da CVRA.