Reguengos de Monsaraz

Na primeira remessa de carne de porco alentejano para a China, ministro diz que “é um passo importantíssimo para o setor” (c/som e fotos)

Publicado em Reportagens 30 janeiro, 2019

Na manhã desta quarta-feira (30 de janeiro), foi expedida a primeira carne de porco alentejana com destino à República Popular da China, a partir da Maporal (Matadouro de Porco de Raça Alentejana), em Reguengos de Monsaraz.

Um total de 10 contentores, contendo 270 toneladas de carne, no valor de 1 milhão de euros, seguiram para o Porto de Sines, com destino à província chinesa Hunan.

A Campanário esteve presente, onde Luís Capoulas Santos, ministro da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural, destacou que este “é um passo importantíssimo para o setor”, que resultará em 100 milhões de euros por ano.

“É mais uma afirmação da internacionalização da nossa agricultura”
Luís Capoulas Santos

 

A abertura do mercado chinês “permite uma alternativa muito importante aos produtores portugueses, que deixam de ficar dependentes do preço da superpotência suinícola que é a Espanha”.

Encontram-se até ao momento 6 matadouros autorizados pelas autoridades chinesas, a enviar carne suína para a República Popular da China, e outros a serem visitados.

Nuno Correia, diretor da FPAS - Federação Portuguesa de Associações de Suinicultores, diz em declarações a esta estação emissora, que o Alentejo tem produtos de excelência “apetecíveis” ao mercado chinês.

A carne de porco teve uma “receção muito boa” na República Popular da China, aponta, cuja população tem vindo a gostar “desde a primeira hora […] dos nossos produtos”.

“As encomendas que virão a seguir serão na ordem das 30 mil toneladas anuais”
Nuno Correia

 

A encomenda expedida na presente quarta-feira, de “perto de 300 toneladas”, representa

 “cerca de 1 milhão de euros”, estando previsto, para este ano, faturação “na ordem dos 100 milhões de euros”. “Os chineses já estão a antecipar algumas compras para 2020”, avança.

José Calixto, presidente da Câmara Municipal de Reguengos de Monsaraz destaca em declarações a esta estação emissora, que “o envio de produto na casa dos 15 mil animais por semana”, assegurará 150 postos de trabalho.

“É muito importante para o meu concelho, mas acima de tudo é importante para a região e para Portugal”
José Calixto

Considerando que a província de Hunan, para onde foi enviada esta primeira remessa de carne de porco alentejano, tem 73 milhões de habitantes, este negócio representa “o início de relação com mercados de elevadíssima dimensão”.

Mais aponta encontra-se alinhada “a abertura de um centro de degustação de produtos portugueses em Changsha”, capital da província chinesa.

Esta medida com grande impacto na economia nacional resulta “de um excelente trabalho do governo português”, tendo sido desbloqueado no passado mês de dezembro, o visto de alfândega necessário para avançar com este “processo que durava há 6 anos”.

A cerimónia contou com a presença do embaixador da China em Portugal, Cai Run, do Ministro da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural, Luís Capoulas Santos e dos operadores entre os quais o negócio foi estabelecido – a empresa portuguesa AGP Meat e o chinês ACME Group.

As exportações de carne de porco portuguesa para a China vão movimentar um volume de negócios de 100 milhões de euros em 2019 e de 200 milhões de euros em 2020.

Últimas notícias

Histórico de Notícias

« Outubro 2019 »
Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
  1 2 3 4 5 6
7 8 9 10 11 12 13
14 15 16 17 18 19 20
21 22 23 24 25 26 27
28 29 30 31