34.8 C
Vila Viçosa
Quarta-feira, Julho 17, 2024

Ouvir Rádio

Data:

Partilhar

Recomendamos

A Rádio Campanário foi ao encontro, de quem, cujo seu primeiro dia de aulas, foi há mais de 30 anos (c/som)

O ano letivo 2016/2017 começou este ano mais cedo. Entre 9 e 15 de setembro todas as escolas deverão estar a funcionar.

Segundo o Ministério da Educação, os alunos do 2.º ano, terão que fazer, no ano letivo 2016-2017, provas de aferição das disciplinas de Expressões Artísticas e Físico-Motoras, Estudo do Meio, Matemática e Português.

Os alunos do 5.º ano terão que provar os conhecimentos de Ciências Naturais, Português e Matemática. Aos do 8.º ano cabem as de Físico-Química, Português e Matemática.

Apesar de os resultados das provas de aferição não contarem para as notas dos estudantes, a sua realização é obrigatória e irá decorrer entre os meses de maio e junho.

Quanto às férias escolares, já há datas fixadas. As férias de Natal serão de 19 de dezembro a 2 de janeiro e as da Páscoa de 5 a 18 de abril. O final do ano letivo está agendado para junho, variando de acordo com os anos que os alunos frequentam.

Os alunos do 1.º Ciclo do Ensino Básico serão os últimos a terminar o ano letivo, a 23 de junho, o que significa que terão mais duas semanas de aulas em relação ao ano que agora terminou, a 9 de junho.

A Rádio Campanário foi falar com quem frequentou o ensino primário há cerca de 30 anos, durante a inauguração da requalificado e ampliação do Polo Escolar de Terena, tendo falado com Vitória Saraiva, Maria Canhoto, Maria Vitória Poeiras, Maria Vicência Mira e Mariana Ribeiro, tendo sido evidenciadas as diferenças da escola dos seus tempos para a de hoje.

Vitória Saraiva, professora aposentada, natural de Redondo, esteve presente na cerimónia de inauguração e diz que tem uma ligação muito forte a esta escola, “vim para aqui porque a minha mãe me pediu, por causa do Monumento Nacional de Nossa Senhora da Boa Nova, e estive dois anos em Santiago Maior, primeiro em Casas Novas e no segundo ano, nos Marmelos, efetivei-me e fiquei, porque comecei a namorar com um rapaz de cá, e casei-me com ele”.

Sobre a requalificação do Polo Escolar de Terena, diz que agora “está tudo muito diferente, mas tudo pela positiva, tudo muito melhor. Quando eu para cá vim, eram duas salas (…) eram 105 crianças, cheguei a trabalhar com 54 crianças e quando abalei deveriam ser 50 (…) e hoje são cerca de 20”.

Maria Canhoto, natural de Terena mostrou-se muito satisfeita com a escola de Terena, lamentando não ter sido possível continuar aqui os estudos, “ou tínhamos que ir para o Alandroal ou Évora, inclusivamente um curso superior em Lisboa”.

Questionada sobre o que a liga a esta escola, expressa que “o bom alentejano liga sempre ao Alentejo, eu já saí daqui há aproximadamente 50 anos, mas nunca renego ser do Alentejo e ter feito a minha 4ª classe”.

Maria Vitória Poeiras referiu que a escola de Terena foi inaugurada em 5 de outubro de 1950, ainda não tinha feito os sete anos de idade, “entramos em outubro e fazia os sete anos em novembro”,

Instada sobre as alterações na escola de então para a atual, diz que na escola anterior existia “um alpendre e o espaço também em volta onde nós brincávamos (…) ainda fazíamos teatros, mesmo sem termos muitas condições para isso”.

Recorda ainda as docentes e diz que não poderia perder a cerimónia de inauguração da escola, a fim de verificar as alterações no edifício.

Maria Vicência Mira referiu que a infância foi passada nesta escola até à 4ª classe depois “não havia possibilidade de estudar mais porque não havia escolas do Estado e as crianças só chegavam à 4ª classe”.

Mariana Ribeiro declarou que também se recorda desse tempo e de quando iam descalças para a escola, dizendo que tem uma fotografia “em que estávamos todas descalças (…) só havia duas que estavam calçadas”.

    

Populares