15.4 C
Vila Viçosa
Quinta-feira, Junho 20, 2024

Ouvir Rádio

Data:

Partilhar

Recomendamos

Alentejo2030: “Ainda há dúvidas mas achamos que estas mudanças são para o bem das regiões” diz Ministra da Coesao Territorial (c/som e fotos)

 

O Conselho Regional da CCDR Alentejo reuniu hoje no Auditório da CCDRA com o objetivo de apresentar o Programa Regional Alentejo 2030, o modelo de Governação do PT2030 e os princípios orientadores sobre a nova orgânica das CCDR.

O Conselho Regional contou com a presença da Ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa, assim como com a presença da Secretária de Estado do Desenvolvimento Regional, Professora, Isabel Ferreira e do Secretário de Estado da Administração Local e Ordenamento do Território, Carlos Miguel.

A esta reunião não  faltaram também os Presidentes das Autarquias do Alentejo com quem o novo Programa foi discutido.

A Ministra da Coesão Territorial, após a reunião, em declarações aos jornalistas referiu “nós vamos ter um ano de 2023 muito desafiante porque ainda falta concluir o Programa Regional do PT2020e há que dar início ao programa regional já do próximo quadro comunitário.”

Acerca da reunião, a Ministra referiu “ficou aqui o repto de que 2023 é o último ano para se executar o PT2020 e no nosso planeamento executaremos a totalidade das verbas” destacando a flexibilidade existente no encerramento deste programa.

No Alentejo e referente ao PT2020 ainda falta executar um pouco mais de 20% “ o que significa que há ainda muito trabalho a fazer.”

2023 vai ser “um ano que vai exigir muito às CCDR” referiu a governante acrescentando ainda que este é também o ano “em que estamos a mudar a orgânica das CCDR, fruto de serem agora estas a terem dentro da sua orgânica áreas que dependiam diretamente dos ministérios.”

Ana Abrunhosa destacou ainda “no próximo quadro comunitário as CCDR terão maior autonomia e essa autonomia vai refletir-se em coisas muito práticas, tais como a abertura dos avisos de concurso, entre outras.”

Vamos mais do que duplicar a verba que vai ser contratualizada e as áreas com as Comunidades Intermunicipais isto para acompanhar a descentralização de competências” adiantou Ana Abrunhosa que destacou o facto das estratégias já estarem elaboradas e estarem de acordo com a estratégia regional.

Houve muitas perguntas, foram assuntos muito debatidos pois quando se muda gera sempre muita curiosidade” sublinhou a Ministra da Coesão Territorial. Ainda assim, acrescenta “consideramos que as mudanças neste novo quadro comunitário são para o bem das regiões e do nosso País.”

 

Populares