10.4 C
Vila Viçosa
Sexta-feira, Junho 21, 2024

Ouvir Rádio

Data:

Partilhar

Recomendamos

” Até final do ano contamos arrancar com a obra da variante entre Vila Viçosa e Bencatel ” diz Inácio Esperança(c/som e fotos)

A Câmara municipal de Vila Viçosa realizou hoje, no Salão Nobre dos Paços do Concelho, uma apresentação do levantamento topográfico da Variante, que ligará Bencatel a Vila Viçosa.

A Rádio Campanário esteve presente nesta sessão de apresentação e falou com o Presidente da Câmara Municipal, Inácio Esperança sobre este levantamento topográfico.

Inácio Esperança começou por referir “a urgência neste processo é de todos e este espaço canal, que foi o que apresentámos aqui, que é uma área com 200 metros onde depois se vai implementar o projeto e que teve ontem parecer favorável de todas as entidades na conferência técnica da revisão do PDM que vai estar em consulta pública dentro de algum tempo.”

Segundo o autarca, o objetivo desta apresentação “é partilhar com as pessoas aquelas que são as nossas intenções e de uma forma democrática, mostrar o que pretendemos fazer para melhorar as acessibilidades a Bencatel, a segurança, promover o desenvolvimento económico e no fundo o progresso que é isso que nós queremos, quer para Bencatel, quer para Vila Viçosa, quer para todo o concelho.”

Faz ainda parte deste projeto o desvio do trânsito de dentro de Bencatel e conforme refere o edil “nós temos que compatibilizar as pedreiras e a laboração das pedreiras que é essencial à economia do nosso concelho com a segurança e com o progresso e de facto isso só é possível através desta alternativa” acrescentando ainda “esta é a solução encontrada e a alternativa que queremos implementar, estamos no fundo a mostrá-la às pessoas para que elas possam pronunciar-se.”

No que diz respeito ao troço da estrada que, entretanto, passou para o domínio municipal, Inácio Esperança refere “ninguém poderá ali fazer nada sem autorização do Município” acrescentando “aquilo que está a ser feito neste momento é um atravessamento que liga duas vias com um distanciamento de 50 metros por forma a dar segurança às pessoas e suspendemos o PDM naquela zona de todo o uso~, ou seja, durante três anos ninguém poderá ali fazer absolutamente nada.”

 No que diz respeito à estrada que era nacional e que agora é municipal, Inácio Esperança refere “ela é do município e obviamente continuará, não tem é condições de passagem, pois se não tinha no passado também não vai ter no futuro e não se vai pensar que se consegue entulhar uma pedreira que tem direito de exploração e que tem valor para todo o concelho e para as pessoas que trabalham.”

A sessão de apresentação que hoje se realizou foi aberta ao público e no espaço de intervenções do público surgiram algumas considerações discordantes do levantamento apresentado. Questionado pela Rádio Campanário se está a Câmara Municipal disponível para reavaliar o mesmo, o Presidente da Câmara Municipal adiantou “isto é uma fase embrionária. Nós queremos como é óbvio mostrar à população quais são as nossas intenções, o traçado terá uma discussão pública precisamente para que as pessoas se possam pronunciar.”

A este propósito acrescenta “nesta questão da construção de estradas há sempre impactos para algumas pessoas” ainda assim iremos maximizar o benefício e minimizar o prejuízo, mas obviamente que haverá sempre prejuízos para os que vão ser afetados.”

“Tentaremos que esse prejuízo, dentro daquilo que é tecnicamente possível e aceitável seja o menor” garantiu o Autarca.

Por último, Inácio Esperança referiu “eu gostava muito que até ao final do ano pudesse arrancar a primeira fase da obra, numa das vertentes, na vertente nascente que é aquela que mais nos preocupa.”

Populares