24.3 C
Vila Viçosa
Quinta-feira, Julho 18, 2024

Ouvir Rádio

Data:

Partilhar

Recomendamos

“Este é o caminho para fazer de Portugal um País competitivo”: Primeiro-Ministro na Inauguração do PACT em Évora. C/ Fotos

Évora, 21 de junho de 2024 – Foi hoje inaugurado o complexo 3.0 do Parque do Alentejo de Ciência e Tecnologia (PACT), em Évora, numa cerimónia que contou com a presença do Primeiro-Ministro Luís Montenegro e do Ministro da Educação, Ciência e Inovação, Fernando Alexandre.

Durante a inauguração, Luís Montenegro anunciou que o Estado vai disponibilizar um terreno próximo do Hospital Central do Alentejo para a Universidade de Évora construir o seu novo polo de saúde. “Eu venho aqui hoje com muito entusiasmo, sinceramente, por várias razões e com muito entusiasmo”, disse Montenegro, que relembrou uma promessa anterior de apoiar a Universidade de Évora.

“Esta ligação entre o conhecimento, a ciência, o ensino, a dinâmica social envolvente e a economia, através das empresas e dos investimentos, é objetivamente o caminho que nós temos de trilhar para fazer de Portugal um país competitivo”, afirmou o Primeiro-Ministro.

O novo Polo de Saúde integrará a Escola Superior de Enfermagem São João de Deus e a Escola de Saúde e Desenvolvimento Humano com o Hospital Central do Alentejo, trazendo benefícios significativos para a região, o hospital e a universidade. “Para a região e para o hospital, representará um novo elemento de atratividade e fixação de investigadores e de profissionais de saúde, motivados por melhores condições de trabalho e de desenvolvimento”, destacou Montenegro.

O terreno de 75 hectares na Quinta da Latoeira permitirá à Universidade de Évora criar novas formações na área da saúde, incluindo um curso de Medicina, ampliando assim as suas ofertas educativas e contribuindo para a fixação de capital humano na região.

O Primeiro-Ministro enfatizou a importância de projetos como o PACT para promover a coesão social e territorial, combatendo o despovoamento e o declínio socioeconómico das regiões. “Estes projetos, como este Parque de Ciência e Tecnologia, juntam as autarquias, os poderes públicos, as instituições de ensino superior, as empresas e todos os que participam num movimento associativo”, disse Montenegro, sublinhando que esta conjugação é essencial para criar uma nova dinâmica no território.

Montenegro ressaltou a utilização eficaz dos fundos comunitários, referindo-se ao PRR, Portugal 2020 e Portugal 2030. “É uma coisa que nem sempre se fala em Portugal, mas que eu faço questão hoje aqui de dizer. Os fundos estruturais que temos à nossa disposição, especialmente os de recuperação e resiliência, serão tão mais suscetíveis de gerar frutos para o futuro se forem bem aplicados”, afirmou.

Luís Montenegro sublinhou a necessidade de uma imigração qualificada para colmatar as lacunas demográficas e promover uma integração bem-sucedida através do ensino superior. “A melhor porta de entrada para termos uma imigração bem-sucedida com bons índices de integração, de acolhimento e de adaptação para gerações futuras, é o ensino superior”, disse.

O Primeiro-Ministro destacou ainda a importância da colaboração entre instituições de ensino superior e agentes económicos. “Estes projetos de desenvolvimento das instituições de ensino superior, de colaboração ativa com os agentes económicos, com os poderes públicos, são também uma das possibilidades que se abre no horizonte das nossas instituições de ensino superior atraírem estudantes estrangeiros”, afirmou.

O Parque do Alentejo de Ciência e Tecnologia (PACT) conta atualmente com 64 empresas, 450 empregos e mais 100 em perspetiva, tendo realizado 50 milhões de euros de faturação no ano passado, com a maioria das empresas a trabalharem com tecnologias de ponta a nível europeu e mundial.

Fotografia: Ana Rocha

Populares