19.8 C
Vila Viçosa
Sexta-feira, Junho 14, 2024

Ouvir Rádio

Data:

Partilhar

Recomendamos

Hortênsia Menino, diz que “ CIMAC receberá 36 milhões dos fundos europeus” (c/som)

Numa grande entrevista, a presidente da Comunidade Intermunicipal do Alentejo Central fala sobre os projetos realizados no ano transato e adianta-nos que para o ano de 2016 contará com um financiamento de 36 milhões de euros que serão investidos na modernização dos serviços municipais, na eficiência energética, na qualificação dos estabelecimentos de ensino, no apoio ao empreendorismo, no património cultural e natural.

A Comunidade Intermunicipal do Alentejo Central(CIMAC) é composta por catorze municípios: Alandroal, Arraiolos, Borba, Estremoz, Évora, Montemor- o- Novo, Mora, Mourão, Portel, Redondo, Reguengos de Monsaraz, Vendas Novas, Viana do Alentejo e Vila Viçosa.

Em entrevista à Rádio Campanário, a presidente da CIMAC, Hortênsia Menino, fala sobre o plano de atividades realizado em 2015, afirmando que “retomamos a iniciativa do posto móvel após ter sido premiado, realizamos a 9ª gala do desporto, a 23ª festa da malha, demos cumprimento ao procolo que temos com a Podio organizando  a volta ao alentejo ,promovemos  a 27 edição do critério de corta mato Paulo Guerra ,atividades estas que abrangeram um conjunto alargado de desportista em todo o Alentejo Central.”

Segundo a presidente da CIMAC “ o ano de 2015 ficou marcado pela comemoração dos 30 anos da Associação de Municípios do Distrito de Evóra numa gala que homenageou os eleitos que estiveram em funções no poder local por 30 ou mais anos.” Bem como “ pela preparação dos projetos que integram Pacto para o Desenvolvimento e Coesão Territorial do Alentejo Central em que foram elaboradas e iniciadas algumas ações como o plano intermunicipal de mobilidade e transportes e ainda intervenções na área da eficiência energética e da contratualização da gestão de um conjunto de fundos no âmbito do InAlentejo .”

Hortênsia Menino fala sobre as ações previstas para o ano 2016 revelando que “ faremos várias intervenções, no âmbito do Pacto para o Desenvolvimento e Coesão Territorial, nomeadamente: na área da cartografia; formação e qualificação dos serviços municipais ;efiência energética, na qualificação dos estabelecimentos de ensino,apoio à criação de emprego e ao empreendorismo; fruição do património cultural e natural .”

 O Pacto para o Desenvolvimento e Coesão Territorial terá o financiamento de 36 milhões de euros proviniente de fundos distintos como o Fundo Social Europeu(FSE) , do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER), entre outros.

A presidente da CIMAC destaca que “o projeto de eficiência energética é de suma importância por tudo o que representa do ponto vista da eficiência de funcionamento, de poupança mas também pela preocupação ambiental que acarreta.”

Questionada sobre os desafios do Alentejo Central, Hortênsia Menino, assegura que “a dificuldade em fixar população têm sido a grande preocupação,portanto, considero que o grande desafio que se coloca ás autarquias e às estruturas representativas das autarquias é naquilo que depende da sua intervenção na promoção de condições que fixem a atração de investimentos e de empresas e que criem emprego, nós estamos disponiveis para poder colaborar .”

A presidente da CIMAC expressa que “a abertura de concursos para os Planos Estrategicos de Desenvolvimento Urbano está atrasado face aquilo que era a nossa expetativa e das autarquias.”

A CIMAC  juntamente com parceiros da extremedadura espanhola desenvolve projetos na àrea da realização de cartografia temática, no âmbito do programa Programa Operativo de Cooperação Transfronteiriça entre Espanha e Portugal (POCTEP) , dando um contributo para o conhecimento do território e dos sistemas de informação geográfica entre as duas regiões. Hortênsia Menino garante que “vamos manter aquilo que é o nosso núcleo geral de intervenções, vamos centrar-nos muito no desenvolvimento do Pacto de Desenvolvimento e Coesão do Território do Alentejo Central , de momento , estamos a reger-nos em função do previsível calendário da abertura dos avisos de concurso especifico para cada uma das ações cuja a informação não está disponível ainda, portanto, temos estado a fazer este planeamento.”

Populares