23.2 C
Vila Viçosa
Quarta-feira, Maio 22, 2024

Ouvir Rádio

Data:

Partilhar

Recomendamos

Já arrancou a obra de construção do novo Hospital Central do Alentejo, em Évora!

A obra de construção do novo Hospital Central do Alentejo, em Évora, já arrancou.

Segundo revelou hoje fonte da ARS, e de acordo com a informação avançada pelo portal sapolifestyle, já está a ser feita a preparação do terreno que irá acolher esta construção.

José Robalo, presidente da Administração Regional de Saúde (ARS) do Alentejo adiantou, segundo a mesma fonte “Já tiraram as árvores que estavam na zona de implantação do hospital” e, na segunda-feira, começa “a desmatação e decapagem do terreno”.

No local, conforme indica o responsável da ARS, já  estão “dois contentores de apoio” aos trabalhos em curso e, “dentro de pouco tempo”, vai ser  instalado o estaleiro e iniciar as obras relativas às fundações. Os trabalhos estão a cargo da  empresa Acciona.

Tal como a Rádio campanário já tinha noticiado, o  novo hospital irá localizar-se na periferia da cidade de Évora, prevendo-se que possa servir como um polo de atração e desenvolvimento, melhorando, também, as condições de atratividade para profissionais de saúde na região.

Envolve um investimento total superior a 180 milhões de euros, mais 30 milhões em equipamento de tecnologia de ponta, perfazendo um total de investimento de 210 milhões d eeuros. Aqui, destacam-se as componentes de radioterapia, de medicina nuclear e de procedimentos angiográficos de diagnóstico e terapêutica. Este nível de diferenciação permitirá responder às necessidades da população do Alentejo, na própria região, com benefícios óbvios de acesso e comodidade para os habitantes.

O edifício, cujo projeto conta com assinatura do arquiteto Souto de Moura, ocupará uma área de 1,9 hectares e terá uma lotação de 351 camas em quartos individuais, que pode ser aumentada, em caso de necessidade, até 487. Contará, ainda, com 30 Camas de cuidados intensivos/intermédios e 15 de cuidados paliativos.

A infraestrutura contará com 11 blocos operatórios, três dos quais para atividade convencional, seis para atividade de ambulatório e dois para atividade de urgência, cinco postos de pré-operatório e 43 postos de recobro.

A futura unidade hospitalar vai, assim, dar resposta às necessidades de toda a população do Alentejo, com uma área de influência de primeira linha que abrange cerca de 200 mil pessoas e, numa segunda linha, mais de 500 mil pessoas, que, assim, poderão contar com acesso a cuidados de saúde diferenciados, com maior proximidade e acesso mais simples.

Fonte: Sapolifestyle

 

 

Populares